Breve Introdução


O ensino da Engenharia Electrotécnica e de Computadores requer um ciclo de formação e de aprendizagem de cinco anos e visa:

  • Formar profissionais capazes de intervir no domínio da Engenharia Electrotécnica e de Computadores, a nível da concepção, incluindo designadamente a análise, especificação, projecto, industrialização, comercialização e utilização de produtos e serviços que utilizam a Electricidade, a par de outras formas de energia, tendo a Electrónica e as Tecnologias de Informação como suporte de realização.
  • Desenvolver nos alunos uma capacidade de anáilse rigorosa, a par de um espírito crítico, flexível e criativo que contribua para investigar, inovar e ser factor de progresso nas mais variadas actividade e sectores da Sociedade.
  • Desenvolver nos alunos o espírito empreendedor que lhes permita agir como fomentadores e criadores de empresas.
  • Desenvolver nos alunos a capacidade de agir como praticantes e gestores de engenharia, contribuindo para a introdução de novos modelos de gestão que motivem e incrementem a produtividade nas suas áreas de intervenção
  • Prover a formação académica necessária para a investigação científica, continuando a fornecer alguns dos professores mais prestigiados, na área de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, em Universidades Portuguesas e Estrangeiras.

Objectivos do 1º Ciclo:

  • Dotar os alunos de uma sólida formação de base que lhes permita acompanhar a evolução dos conhecimentos e da tecnologias ao longo de toda a sua vida profissional.

Objectivos do 2º Ciclo:

  • Dotar os alunos de uma formação avançada em áreas de especialização, que lhes permita intervir, como especialistas e motores de inovação e criação de riqueza em sub-áreas da Engenharia Electrotécnica e de Computadores.

Saídas Profissionais

O Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores (MEEC) tem por missão formar profissionais que através de actividades de desenvolvimento e/ou investigação se integrem no tecido produtivo e se constituam como motores de inovação, contribuindo desse modo para a produção de riqueza, transformando e modernizando a actividade económica em que se insiram.

Os formados adquirem uma base sólida de conhecimento nas áreas científicas básicas e avançadas do curso, segundo um modelo que lhes permite adquirir esses conhecimentos e ainda desenvolver um raciocínio estruturado e uma capacidade de análise e de crítica que os ajude a manter-se na linha da frente do conhecimento, adaptando-se e fomentando a criação de novas tecnologias.

No MEEC adquirem ainda um conjunto de Competências Transversais, nomeadamente, a capacidade de comunicação oral e escrita, de gestão de projectos de engenharia numa perspectiva de empreendedorismo, inovação e transferência de tecnologia. Estas competências conferem-lhes uma visão global sobre a prática e a gestão da Engenharia, que integra aspectos tecnológicos, económicos, ambientais, etc.

Presentemente o foco de formação do MEEC está nas áreas de Computadores, Electrónica, Energia Eléctrica, Decisão e Controlo e Telecomunicações, áreas chave das Tecnologias de Informação e da Sociedade do Conhecimento. Contudo, áreas emergentes de conhecimento, nomeadamente, a bioengenharia, o ambiente, os oceanos e o espaço abrem novos horizontes de intervenção para este Mestrado, iniciando-se em 2006/07, como "área secundária", a formação em Biologia Computacional.

A formação sólida e abrangente adquirida pelos Mestrados em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico, coloca-os entre os profissionais com maior índice de empregabilidade.

O domínio de intervenção da Engenharia Electrotécnica e de Computadores é vasto e diversificado. Abrange serviços e industrias nas áreas tecnológicas de Telecomunicações, Energia, Electrónica, Computadores (perspectivas hard e soft), Robótica, Decisão e Controlo e ainda em empresas de suporte tecnológico ligadas ao desenvolvimento de sistemas e produtos para medicina, biotecnologia, espaço, oceanos, ambiente, etc.

Adicionalmente, muitos dos formados pelo Instituto Superior Técnico, em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, são ainda absorvidos pelas áreas de consultadoria e desenvolvimento de software, bem como pela Banca e Serviços.

Coordenador ( 2018/2020 )

Pedro U. Lima
meec-coordenador@deec.tecnico.ulisboa.pt

Objectivos

Objectivos

O ensino da Engenharia Electrotécnica e de Computadores requer um ciclo de formação e de aprendizagem de cinco anos e visa:

  • Formar profissionais capazes de intervir no domínio da Engenharia Electrotécnica e de Computadores, a nível da concepção, incluindo designadamente a análise, especificação, projecto, industrialização, comercialização e utilização de produtos e serviços que utilizam a Electricidade, a par de outras formas de energia, tendo a Electrónica e as Tecnologias de Informação como suporte de realização.
  • Desenvolver nos alunos uma capacidade de anáilse rigorosa, a par de um espírito crítico, flexível e criativo que contribua para investigar, inovar e ser factor de progresso nas mais variadas actividade e sectores da Sociedade.
  • Desenvolver nos alunos o espírito empreendedor que lhes permita agir como fomentadores e criadores de empresas.
  • Desenvolver nos alunos a capacidade de agir como praticantes e gestores de engenharia, contribuindo para a introdução de novos modelos de gestão que motivem e incrementem a produtividade nas suas áreas de intervenção
  • Prover a formação académica necessária para a investigação científica, continuando a forncer alguns dos professores mais prestigiados, na área de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, em Universidas Portuguesas e Estrangeiras.

Objectivos do 1º Ciclo:

  • Dotar os alunos de uma sólida formação de base que lhes permita acompanhar a evolução dos conhecimentos e da tecnologias ao longo de toda a sua vida profissional.

Objectivos do 2º Ciclo:

  • Dotar os alunos de uma formação avançada em áreas de especialização, que lhes permita intervir, como especialistas e motores de inovação e criação de riqueza em sub-áreas da Engenharia Electrotécnica e de Computadores.

Saídas Profissionais

Saídas Profissionais

O Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores (MEEC) tem por missão formar profissionais que através de actividades de desenvolvimento e/ou investigação se integrem no tecido produtivo e se constituam como motores de inovação, contribuindo desse modo para a produção de riqueza, transformando e modernizando a actividade económica em que se insiram.

Os formados adquirem uma base sólida de conhecimento nas áreas científicas básicas e avançadas do curso, segundo um modelo que lhes permite adquirir esses conhecimentos e ainda desenvolver um raciocínio estruturado e uma capacidade de análise e de crítica que os ajude a manter-se na linha da frente do conhecimento, adaptando-se e fomentando a criação de novas tecnologias.

No MEEC adquirem ainda um conjunto de Competências Transversais, nomeadamente, a capacidade de comunicação oral e escrita, de gestão de projectos de engenharia numa perspectiva de empreendedorismo, inovação e transferência de tecnologia. Estas competências conferem-lhes uma visão global sobre a prática e a gestão da Engenharia, que integra aspectos tecnológicos, económicos, ambientais, etc.

Presentemente o foco de formação do MEEC está nas áreas de Computadores, Electrónica, Energia Eléctrica, Decisão e Controlo e Telecomunicações, áreas chave das Tecnologias de Informação e da Sociedade do Conhecimento. Contudo, áreas emergentes de conhecimento, nomeadamente, a bioengenharia, o ambiente, os oceanos e o espaço abrem novos horizontes de intervenção para este Mestrado, iniciando-se em 2006/07, como "área secundária", a formação em Biologia Computacional.

A formação sólida e abrangente adquirida pelos Mestrados em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico, coloca-os entre os profissionais com maior índice de empregabilidade.

O domínio de intervenção da Engenharia Electrotécnica e de Computadores é vasto e diversificado. Abrange serviços e industrias nas áreas tecnológicas de Telecomunicações, Energia, Electrónica, Computadores (perspectivas hard e soft), Robótica, Decisão e Controlo e ainda em empresas de suporte tecnológico ligadas ao desenvolvimento de sistemas e produtos para medicina, biotecnologia, espaço, oceanos, ambiente, etc.

Adicionalmente, muitos dos formados pelo Instituto Superior Técnico, em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, são ainda absorvidos pelas áreas de consultadoria e desenvolvimento de software, bem como pela Banca e Serviços.

Publicações Oficiais

Despacho nº 10649/2017, DR nº 234, II série, de 06/12 2017-12-06 Área de Especialização em Telecomunicações, Área de Especialização em Computadores, Área de Especialização em Electrónica, Área de Especialização em Energia, Área de Especialização em Sistemas, Decisão e Controlo, Área de Especialização Complementar em Computadores, Área de Especialização Complementar em Electrónica, Área de Especialização Complementar em Energia , Área de Especialização Complementar em Sistemas, Decisão e Controlo , Área de Especialização Complementar em Telecomunicações , Área de Especialização Complementar em Biologia Computacional
Despacho nº 3000/2017, DR nº 71, II série, de 10/04 2017-04-10 Major em Computadores, Major em Electrónica, Major em Energia, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Telecomunicações, Minor em Computadores, Minor em Electrónica , Minor em Energia, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Telecomunicações, Minor em Biologia Computacional
Despacho n.º 10349/2014, DR n.º 153, II Série de 11/08 Pag 20697 à 20708 2014-08-11 Major em Computadores, Major em Electrónica, Major em Energia, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Telecomunicações, Minor em Computadores, Minor em Electrónica , Minor em Energia, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Telecomunicações, Minor em Biologia Computacional
Despacho n.º 8081/2012, DR n.º 113, II Série de 12/6 pag. 21159 à 21169 2012-06-12 Minor em Biologia Computacional, Minor em Telecomunicações, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Energia, Minor em Electrónica , Minor em Computadores, Major em Telecomunicações, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Energia, Major em Electrónica, Major em Computadores
Despacho n.º 2167/2011, DR n.º 20, II Série de 28/01 Pag. 5762 à 5772 2011-01-28 Minor em Biologia Computacional, Minor em Telecomunicações, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Energia, Minor em Electrónica, Minor em Computadores, Major em Telecomunicações, Major em Sistemas, Decisão e Controlo , Major em Energia, Major em Electrónica, Major em Computadores
Despacho n.º 18764/2009, DR n.º 156, II Série de 13/08 Pág. 32922 2009-08-13 Minor em Biologia Computacional, Minor em Telecomunicações, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Energia, Minor em Electrónica, Minor em Computadores, Major em Telecomunicações, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Energia, Major em Electrónica, Major em Computadores
Despacho n.º 1680/2007, DR n.º 23, II Série, de 1/02 pág. 2808/22 2007-02-01 Minor em Biologia Computacional, Minor em Telecomunicações, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Energia, Minor em Electrónica, Minor em Computadores, Major em Telecomunicações, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Energia, Major em Electrónica, Major em Computadores
Despacho n.º 23361/2008, DR n.º 178, II Série, de 15/09 pág. 39322/35 2008-09-15 Minor em Biologia Computacional, Minor em Telecomunicações, Minor em Sistemas, Decisão e Controlo, Minor em Energia, Minor em Electrónica, Minor em Computadores, Major em Telecomunicações, Major em Sistemas, Decisão e Controlo, Major em Energia, Major em Electrónica, Major em Computadores

Coordenadores

2020/2021
Paulo Lobato Correia
paulo.lobato.correia@tecnico.ulisboa.pt
Pedro Urbano Lima
pedro.lima@tecnico.ulisboa.pt

A informação contida nesta página é da responsabilidade da equipa de coordenação do curso.