Dissertação

{pt_PT=Da memória ao papel; do papel para a terra; da terra ... Memória. Quatro casos de reabilitação de conjuntos rurais para uso turístico no Alentejo} {} EVALUATED

{pt=O Alentejo é a zona do país menos provida de construção. Os seus conjuntos rurais, dispersos, assumem-se como bastiões da identidade agrária que lhe persiste. A sua posição enquanto exemplo ou, antagonicamente, repúdio, no espectro do tratamento da arquitectura vernácula, ainda estará por definir. Interpretou-se assim a pertinência deste estudo, que pretende reflectir sobre o exercício de reutilização do conjunto arquitectónico isolado, nesta região — o monte. Limitou-se, no entanto, o alcance da análise a requalificações para alojamento turístico. As Casas Caiadas, em Arraiolos, do arquitecto Luís Pereira Miguel; o Monte da Azarujinha, em Évora, dos arquitectos Aboim Inglez; o Torre de Palma Wine Hotel, em Monforte, do arquitecto João Mendes Ribeiro; e a Herdade de São Lourenço do Barrocal, em Monsaraz, do arquitecto Eduardo Souto de Moura, compõem a amostra eclética de intervenções que detém o foco desta exposição. A partir das intervenções e do pensamento dos autores, pretende-se decifrar o significado e preponderância da Memória enquanto sentido que conduz e justifica as iniciativas projectuais. Este exercício não é possível sem uma base singular, de cariz teórico, que suporte a análise crítica das obras. Nesta fundamentação destaca-se uma analogia singular de ideais próprios do universo urbano para o contexto rural. Da qual se retiram conceitos específicos que evidenciam a comparação crítica dos casos de estudo como ponto de partida de uma reflexão à abordagem contemporânea à arquitectura vernácula alentejana, no meio rural., en=Alentejo is the least dense region of Portugal, in terms of construction. Its rural settlements, dispersed, assume themselves as bastions of the agrarian identity that persists. Its position as example or, antagonistically, dismissal, in the spectrum of the treatment of vernacular architecture remains to be defined. It was with this thought in mind that we felt the urge to develop this study, that intends to reflect on the reuse of the isolated settlement in the region — the monte. However, for our purpose the analysis was limited to requalifications for tourist accommodation. Casas Caiadas, in Arraiolos, from architect Luís Pereira Miguel; Monte da Azarujinha, in Évora, from architects Aboim Inglez; Torre de Palma Wine Hotel, in Monforte, from architect João Mendes Ribeiro; and São Lourenço do Barrocal estate, in Monsaraz, from architect Eduardo Souto de Moura, make up the eclectic sample of interventions that holds the focus of the discourse. From their study it is expected to perceive the preponderance of Memory as a sense that drives and justifies the project initiatives. This wouldn't be possible without a proper basis, of a theoretical nature, that can support the analysis of the works. In our singular reasoning stands out a peculiar type of analogy that transports ideals proper of the urban universe to the rural context. With it we expect to emphasize the critical comparison of the case studies as the starting point of a wider reflection on the contemporary approach to the vernacular architecture, in the rural environment of Alentejo.}
{pt=Património Cultural, Memória, Arquitectura Vernácula, Monte Alentejano, Reabilitação, Turismo Rural, en=Cultural Heritage, Memory, Vernacular Architecture, Monte Alentejano, Architectural Rehabilitation, Rural Tourism}

Novembro 28, 2018, 11:0

Orientação

ORIENTADOR

João Rosa Vieira Caldas

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar