Dissertação

{pt_PT="Optimism bias" em projetos de engenharia: uma aplicação às concessões rodoviárias} {} EVALUATED

{pt=Ao longo das últimas décadas tem-se assistido ao desenvolvimento da rede de infraestrutura rodoviária nos países desenvolvidos. Entre 1990 e 2016, Portugal, viu a sua rede de autoestradas aumentar de 303km para mais de 3000km, sendo que este aumento teve por base o recurso a um sistema de contração de PPP. Estes projetos têm sido amplamente analisados no que toca às estimativas de tráfego produzidas na sua fase de conceção. Devido ao grande horizonte temporal previsto nestas estimativas, estas têm-se mostrado não só imprecisas, mas também pouco exatas. De um modo geral as estimativas de tráfego têm-se revelado demasiado otimistas, verificando-se uma constante sobrestimação do tráfego. Assim, este estudo pretende quantificar a magnitude desses desvios e a sua evolução temporal no caso das concessões rodoviárias portuguesas. Os resultados foram de encontro aos resultados obtidos internacionalmente, com as concessões portuguesas a apresentarem um erro médio de sobrestimação a rondar os 22,7%. Para além desta tendência otimista, o caso de estudo revelou que o erro de estimativa tende a aumentar com passar do tempo. Das causas possíveis para este comportamento, destacam-se a introdução de portagens nas concessões SCUT, os impactos ao nível do tráfego da crise financeira e excessivamente otimista taxa de crescimento das estimativas de tráfego. Este último ponto afeta principalmente as concessões cuja rentabilidade acionista seja garantida pelo Estado, visto que se o crescimento das estimativas for demasiado elevado, eventualmente a rentabilidade irá baixar e o Estado estará na obrigação de compensar a concessionária. , en=Over the last decades, has been witnessed the development of the road infrastructure network in developed countries. Between 1990 and 2016, Portugal saw its motorway network increase from 303km to over 3000km, in this increase in the network, it was used a PPP system. Traffic forecasts produced for these projects have been extensively analyzed worldwide. Due to the large time horizon predicted in these estimates, they have shown to be not only inaccurate but also overly optimistic, overestimating the actual traffic at any given year. Thus, this study aims to quantify the magnitude of these deviations and their temporal evolution in the case of Portuguese road concessions. The results were in line with the results obtained internationally, with Portuguese concessions showing an average traffic overestimation of around 22.7%. Beyond this optimistic trend, the case study revealed that the estimation error tends to increase over time. Possible causes for this behavior include the introduction of tolls on SCUT concessions, traffic impacts from the financial crisis and the overly optimistic growth rate expected by the traffic forecasts. This last point mainly affects concessions whose shareholder returns are guaranteed by the State, since if forecasts growth is too high, eventually the returns will decline, and the State will be required to compensate the concessionaire.}
{pt=Estimativas de tráfego, Concessões rodoviárias, Erro de estimativa, PPP, Desvios de tráfego, en=Traffic forecasts, PPP, Road concessions, Forecast inaccuracy, Optimism bias}

Novembro 15, 2019, 14:0

Orientação

ORIENTADOR

Carlos Paulo Novais Oliveira da Silva Cruz

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar