Dissertação

Towards Standardized Vascular Assays for Mesenchymal Stem Cells EVALUATED

O desenvolvimento de terapias celulares para a regeneração cardiáca requer que se investiguem os modos de acção das células estaminais do mesênquima (MSCs), bem como formas de melhorar a sua funcionalidade no local afectado. Neste projecto, estudou-se a co-cultura de células humanas endoteliais do cordão umbilical (HUVECs) e células estaminais humanas do mesênquima (hMSCs) da medula óssea através de um ensaio vascular. Variaram-se parâmetros como a razão entre hMSCs e HUVECs (1:4, 1:2, 1:1, 2:1 e 4:1), idade das hMSCs in vitro e quantidade de matriz utilizada. O efeito da pré-estimulação de hMSCs com dois ligandos foi também averiguado. hMSCs interagiram com HUVECs de forma semelhante a pericitos, revestindo o exterior dos vasos e preenchendo espaços entre as HUVECs. Co-culturas com ratios de 1:4 e 1:2 mostraram maior vascularização, com estruturas mais semelhantes a capilares do que culturas formadas por HUVECs. Apesar do uso de 35 µL de Matrigel por poço reduzir o custo total em 11%, devem ser usados 55 µL para que a robustez seja mantida. A capacidade proliferativa das hMSCs decresceu após a passagem 4 e mostraram ser maiores em tamanho na passagem 6 e 7. As mesmas formaram menos vascularização após atingirem um número de gerações igual a 16 (passagem 6). No que diz respeito ao pré-estimulo das hMSCs: enquanto co-culturas onde estas estavam na passagem 4 ou 7 foram mais estimuladas pelo ligando 2, co-culturas onde as hMSCs estavam entre a passagem 5 ou 6 mostraram melhores resultados quando estimuladas com o ligando 1.
ensaio vascular em co-cultura, células estaminais do mesênquima, angiogenese, isquémia cardíaca

Setembro 18, 2015, 10:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Ivan Wall

University College London, Department of Biochemical Engineering

Doutor

ORIENTADOR

Cláudia Alexandra Martins Lobato da Silva

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar