Breve Introdução

Um Engenheiro Biológico utiliza a sua formação em Biologia, Matemática, Física, Química e Engenharia para encontrar soluções para problemas técnicos e científicos nas áreas de interface da Biologia com a Engenharia.


Historial

O Mestrado Integrado em Engenharia Biológica (MIEB) foi criado em 2007/2008 como resultado da adequação ao Processo de Bolonha da Licenciatura em Engenharia Biológica, em funcionamento no IST desde 1997/1998. O número de diplomados em Engª Biológica nos últimos 12 anos excede já os 550. A formação  oferecida pelo IST é reconhecida pela Ordem dos Engenheiros (OE) e foi recentemente (Fev. 2016) acreditada pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino superior (A3ES) por um período de 6 anos. 

Objectivos

O MIEB tem por objectivo formar Engenheiros para ocupar posições de liderança em Engenharia Biológica, Biotecnologia, Biomedicina e áreas afins. A formação académica de elevada qualidade e actualidade facilita a mobilidade dos alunos para Escolas de excelência na Europa e a dos futuros Mestres no mercado global de trabalho. Como características centrais do MIEB destacam-se:

  • uma formação académica sólida e actualizada em Matemática, Física, Química e Ciências da Engenharia,
  • uma formação multidisciplinar e actualizada em domínios diversos incluindo o Ambiente e Energia, a Bioengenharia Médica, a Engenharia Alimentar, a Gestão Industrial, a Nanobiotecnologia, a Bioinformática, a Biologia de Sistemas e a Engenharia de Células e Tecidos,
  • uma formação transversal que estimula e promove o desenvolvimento de capacidades como a autonomia, espírito analítico e crítico, flexibilidade e criatividade, adaptabilidade, gestão de tempo e trabalho de equipa,
  • uma formação acreditada pela Ordem dos Engenheiros e conducente à atribuição do título profissional de Engenheiro.

Mais informações sobre o curso aqui.

Destinatários

O MIEB destina-se a alunos com formação sólida em Biologia, Matemática e Física que queiram desenvolver uma carreira profissional no âmbito das indústrias Agro-alimentar, Farmacêuticas, Biomédicas e das Ciências da Vida, que pretendam trabalhar em Investigação e Desenvolvimento na Academia ou na Indústria ou que desejem iniciar projectos empreendedores nestas áreas.

Saídas Profissionais

Áreas

  • Os Mestres em Engenharia Biológica podem desenvolver uma carreira profissional em áreas diversas, incluindo: Agro-alimentar, Ambiente e Águas, Bioenergia, Biotecnologia Industrial, Consultoria Tecnológica e de Gestão, Indústria Farmacêutica e Cosmética, Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Propriedade Intelectual e Regulação, Saúde (Biomedicina, Diagnóstico, Dispositivos Médicos, Serviços).

Funções

Os Mestres em Engenharia Biológica estão aptos a exercer funções variadas, incluindo:

  • Projecto, investigação, desenvolvimento, operação e optimização de bioprocessos 
  • Desenvolvimento de materiais, produtos e dispositivos de base química,  biotecnológica e biomédica
  • Idealização, desenvolvimento e implementação de Análises Químicas e Bioquímicas, Microbiológicas e Moleculares
  • Investigação científica e desenvolvimento
  • Controlo de qualidade
  • Consultoria
  • Liderança, chefia, gestão
  • Empreendedorismo
  • Formação profissional e ensino
  • Comercialização de produtos, equipamentos e processos
Mais informações sobre a empregabilidade do MIEB podem ser encontradas no portal  InfoCursos do Ministério da Educação e Ensino Superior. Está também disponível um estudo sobre os percursos profissionais de cerca de 400 diplomados em Engenharia Biológica da autoria da Coordenação do MIEB: Percursos Profissionais em Engenharia Biológica.

Publicações Oficiais

Despacho n.º 9661/2018, DR n.º195, 2ª Série, de 10/10 2018-10-10
Despacho n.º 9697/2017, DR n.º214, 2ª Série, de 7/11 Pág. 25073 2017-11-07
Despacho n.º 10215/2013, DR n.º148, II Série, de 2/08, pág. 24334 - 24339 2013-08-02
Despacho n.º 14282/2012, DR n.º212, II Série, de 2/11, pág. 36167 - 36172 2012-11-02
Despacho n.º 8278/2012, DR n.º117, II Série, de 19/06, pág. 21711 - 21715 2012-06-19
Despacho n.º 818/2011, DR n.º 7, II Série, de 11/01, pág. 1880 - 1889 2011-01-11 Minor em Nanobiotecnologia, Minor em Nanobiotecnologia, Minor em Gestão Industrial, Minor em Engenharia Alimentar, Minor em Bioinformática e Biologia de Sistemas, Minor em Bioengenharia Médica, Minor em Ambiente e Energia
Despacho n.º 18672/2009, DR n.º 155, II Série, de 12/08, pág. 32371 - 32379 2009-08-12 Minor em Nanobiotecnologia, Minor em Gestão Industrial, Minor em Engenharia Alimentar, Minor em Bioinformática e Biologia de Sistemas, Minor em Bioengenharia Médica, Minor em Ambiente e Energia
Despacho n.º  1956/2007, DR n.º 26, II Série, de 06/02/07, pág. 3221 - 3232 2007-02-06 Minor em Nanobiotecnologia, Minor em Gestão Industrial, Minor em Engenharia Alimentar, Minor em Bioinformática e Biologia de Sistemas, Minor em Bioengenharia Médica, Minor em Ambiente e Energia
Despacho n.º 24506/2008, DR n.º 189, II Série, de 30/09, pág. 40786 - 40797 2008-09-30 Minor em Nanobiotecnologia, Minor em Gestão Industrial, Minor em Engenharia Alimentar, Minor em Bioinformática e Biologia de Sistemas, Minor em Bioengenharia Médica, Minor em Ambiente e Energia

Coordenadores

2020/2021
Gabriel António Amaro Monteiro
gabmonteiro@tecnico.ulisboa.pt
Miguel Nobre Parreira Cacho Teixeira
mnpct@tecnico.ulisboa.pt

A informação contida nesta página é da responsabilidade da equipa de coordenação do curso.