Dissertação

{en_GB=Comparison of Firm Dynamics in High-Tech and Low-Tech Firms: The Role of Innovation on Survival} {} EVALUATED

{pt=A influência das dinâmicas de empresas e da indústria na sobrevivência de empresas na indústria de manufatura portuguesa já foi previamente estudada, mas estudos que relacionam estas dinâmicas com o efeito da intensidade tecnológica são escassos. O nosso principal objetivo é estudar como a sobrevivência de empresas na indústria de manufatura em Portugal difere para empresas de alta e baixa-tecnologia, com especial enfâse no impacto provocado pelo investimento em inovação. Usamos o "dataset" Sistema de Contas Integradas das Empresas. Estimamos modelos de duração com proportional hazards, usando uma função de baseline hazard constante por segmentos — piecewise constant. Revelamos que o impacto da idade das empresas no hazard de saída é descrito por um aumento dos hazards durante um período inicial, que de seguida decrescem monotonicamente. Mostramos que tanto empresas que apresentam maior tamanho atual, como empresas que apresentam maior tamanho aquando da sua formação apresentam menor hazard de saída do que as empresas de menor dimensão. Sugerimos que inovadores apresentam menor hazard de saída do que não-inovadores, e o mesmo para exportadores em relação a não-exportadores. Indicamos que firmas de alta tecnologia possuem menor hazard de saída que as de baixa-tecnologia. Mostramos que empresas de alta-tecnologia beneficiam mais em ser inovadoras do que as de baixa-tecnologia. Não podemos afirmar que exista uma diferença no hazard de saída associada à relação entre o tamanho das empresas e a intensidade tecnológica. Cremos que os nossos resultados são relevantes, visto traçarmos conclusões relativas a estes tópicos previamente pouco estudados., en=The influence of firm and industry dynamics on the survivability of firms in the Portuguese manufacturing industry has already been studied, but studies that relate them to the effects of the technological intensity are lacking. Our main objective is to study how the survival of firms in the Portuguese manufacturing industry is different high-tech and low-tech firms, with special focus on the impact of investment in innovation. We use the “Sistema de Contas Integradas de Empresas” dataset. We estimate proportional hazards duration models, using a piecewise constant function, in which the baseline hazard was modelled in segments we consider constant. We reveal that the impact of firm age in the exit hazard is described by an increase on the exit hazards during an initial period, which then decrease monotonically. We show that for firms that present larger current number of employees and for firms that present larger number of employees at start-up, the hazards of exit are lower than for smaller firms. We suggest that innovators present lower hazards of exit than non- innovators, and the same between exporters and non-exporters. We find that high-tech firms face lower hazards of exit than low-tech ones. We indicate that firms benefit more from being innovators in high-tech industries than in low-tech ones. We cannot ascertain if there exists a difference in the hazards of exit associated with the relationship between firm size and technological intensity. We believe our results to be relevant, as we draw conclusions on previously less studied topics.}
{pt=sobrevivência, hazard, indústria de manufatura portuguesa, intensidade tecnológica, inovação, exportações., en=survival, hazard, Portuguese manufacturing industry, technological intensity, innovation, exports.}

Novembro 20, 2019, 14:30

Orientação

ORIENTADOR

Hugo Miguel Fragoso de Castro Silva

Departamento de Engenharia e Gestão (DEG)

Professor Auxiliar Convidado