Dissertação

{en_GB=Alginate-based Films for Investigative Delivery of Flavonoids } {} EVALUATED

{pt=O objetivo deste trabalho foi desenvolver filmes de alginato para a libertação controlada de flavonoides, mimetizando propriedades farmacocinéticas destes compostos em humanos, para (1) libertação investigativa e (2) aplicações terapêuticas, especialmente para aumentar a eficácia anticancerígena na pele. O sistema proposto consiste em filmes secos de alginato, onde flavonoides são encapsulados antes da sua aplicação. Foram realizados vários estudos para desenvolver e caracterizar este sistema, desde a fabricação de diferentes filmes à investigação da libertação de epicatequina em condições diversas. A farmacocinética de EGCG em humanos foi caracterizada com modelos compartimentais, revelando uma taxa de absorção de 1.10±0.70 h-1 e uma taxa de eliminação de 0.28±0.12 h-1. Os filmes foram preparados por evaporação de solvente, onde aditivos como glicerol e quitosano aumentaram a sua flexibilidade e hidrofobicidade, respetivamente. Iões de cobre interagem com EGCG, mas não os de cálcio, bário ou zinco que foram usados para gelificar alginato na encapsulação de flavonoides. Foi possível encapsular epicatequina nos filmes de alginato, mas não EGCG, sendo que filmes com glicerol poderão aumentar a eficiência de encapsulação. A libertação de epicatequina dos filmes depende do ião reticulante e da espessura do filme, o modelo de Weibull sugere que a difusão é o mecanismo predominante. Estudos de libertação com células de Franz revelaram que a cinética de libertação de epicatequina aproxima-se da absorção de EGCG em humanos, mostrando potencial para estudos de libertação investigativa. Os filmes de alginato de cálcio libertam epicatequina em pele, atingindo concentrações terapeuticamente relevantes de epicatequina que retém capacidade antioxidante., en=The aim of this work was to develop alginate-based films for the controlled release of flavonoids, mimicking pharmacokinetic properties of these compounds in humans, for potential applications in (1) investigative delivery and in (2) therapeutics, especially for improving anticancer efficacy in skin. The proposed system consists of dry alginate films, where flavonoids are encapsulated prior to film application. Several studies were made to develop and characterize this system, from production of different films to investigation of epicatechin release in varied conditions. The pharmacokinetics of EGCG in humans was characterized with compartmental models, exhibiting an absorption rate of 1.10±0.70 h-1 and an elimination rate of 0.28±0.12 h-1. Films were prepared by solvent evaporation, where additives such as glycerol and chitosan increased their flexibility and hydrophobicity, respectively. Copper ions interact with EGCG, but not calcium, barium or zinc that were used to gel alginate for flavonoid encapsulation. Epicatechin could be encapsulated in alginate films, but not EGCG, and glycerol-containing films may increase the encapsulation efficiency. The release of epicatechin from alginate films depends on the crosslinking ion and film thickness, with diffusion being the predominant release mechanism as suggested by Weibull equation modelling. Release studies on Franz cells showed kinetics of release of epicatechin by alginate films similar to the absorption of EGCG in humans, suggesting a potential utility for investigative delivery studies of flavonoids. Calcium-alginate films were able to deliver epicatechin to skin ex vivo, achieving therapeutically relevant concentrations of antioxidant functional epicatechin.}
{pt=Alginato, Flavonoides, Libertação controlada, Libertação investigativa, Pele, en=Alginate, Flavonoids, Controlled release, Investigative delivery, Skin}

Novembro 25, 2019, 10:0

Orientação

ORIENTADOR

Ricardo José Lucas Lagoa

Escola Superior de Tecnologia e Gestão – Instituto Politécnico de Leiria

Professor Adjunto

ORIENTADOR

Frederico Castelo Alves Ferreira

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar