Breve Introdução

O Departamento de Física do Instituto Superior Técnico (IST) oferece um Programa Doutoral em Engenharia Física Tecnológica (PDEFT) cobrindo algumas áreas de especialização dos seus professores e investigadores, em estreita colaboração com as unidades de investigação associados ao Departamento de Física

As principais áreas do PDEFT são:

  • Astrofísica e Gravitação
  • Física dos Plasmas, Fusão Nuclear, Fotónica e Lasers Intensos;
  • Física da Matéria Condensada, Nanotecnologia e Física do Estado Sólido;
  • Física das Partículas e Física Nuclear.

Outras áreas de investigação do Departamento de Física (e.g.  Energias Renováveis) são igualmente cobertas por este Programa.


O Programa Doutoral em Engenharia Física Tecnológica, em conjunto com o Programa Doutoral em Física integram o 3º ciclo de estudos superiores resultantes da aplicação do Acordo de Bolonha. Eles complementam a formação básica do 1º e 2º ciclos (Licenciatura e Mestrado) em Engenharia Física Tecnológica.

Historial

Os doutoramentos em Engenharia Física Tecnológica e em Engenharia Física foram criados no IST em meados dos anos 1980. O atual PDEFT resultou da reformulação daqueles doutoramentos de molde a estar de acordo com o 3º ciclo de estudos superiores definido pelo Acordo de Bolonha. Esta reformulação levou à introdução de uma componente de formação doutoral, que inclui pelo menos 4 Unidades Curriculares de índole avançada e um Seminário.

Objectivos

O Programa Doutoral em Engenharia Física Tecnológica tem como objetivo a aquisição de conhecimentos avançados e de capacidades de investigação em áreas envolvendo aplicações de física e de engenharia física, consistentes com os domínios de especialização do Departamento de Física do IST. Os diplomados do PDEFT são expostos a técnicas experimentais avançadas da física dos plasmas, lasers intensos, óptica, nanotecnologias e física nuclear e de partículas, incluindo sistemas de aquisição de dados, medidas em tempo real, instrumentação, e técnicas de micro e nano-fabricação (ver curriculo).

Depois de concluírem o seu doutoramento, espera-se que os diplomados deste programa tenham adquirido a capacidade para realizar trabalho científico autónomo na sua área de especialização, ampliando as fronteiras do conhecimento com base na sua pesquisa original, de acordo com os mais altos padrões de qualidade e integridade. Estes diplomados deverão promover o progresso académico, profissional, tecnológico, social e cultural, em interação com a comunidade académica e a sociedade em geral.

Destinatários

Licenciados e Mestres (de preferência em Física ou Engenharia Física ou Engenharia Física Tecnológica) que desejem adquirir o grau de Doutor em Engenharia Física Tecnológica, com vista a desenvolver uma carreira profissional integrando uma componente de investigação em Física Aplicada ou Engenharia Física.

Saídas Profissionais

Os Doutorados em Engenharia Física Tecnológica podem integrar unidades de investigação e laboratórios de investigação e desenvolvimento, nomeadamente associados a empresas, no país ou no estrangeiro, públicos ou privados. Estes doutorados são investigadores altamente preparados para trabalhar em grandes instituições de investigação e desenvolvimento tecnológico: European Organization for Nuclear Research (CERN); European Southern Observatory (ESO); European Space Agency (ESA); Joint European Torus (JET); International Thermonuclear Experimental Reactor (ITER).


Os Doutorados em Engenharia Física Tecnológica podem ainda seguir uma carreira académica como Professores do ensino superior, em Portugal ou no estrangeiro.

Regime de Funcionamento

O Programa Doutoral em Engenharia Física Tecnológica (PDEFT) é um programa académico com uma componente curricular e uma componente de investigação, cujo funcionamento é determinado pelo Regulamento Geral dos Doutoramentos IST - 3º ciclo de Estudos Superiores.
- de forma a completar entre 30-33 ECTS
- incluindo obrigatoriamente a UC "Seminário de Física"

Para ser admitidos no PDEFT os potenciais candidatos devem identificar um tema de tese e um orientador científico; em conjunto com o orientador devem definir um plano estudos e um plano de investigação consistentes com a sua formação académica anterior e adequado aos objetivos científicos do doutoramento.

O plano de estudos deve integrar várias unidades curriculares (UC) escolhidas de entre as aprovadas no curriculum do PDEFT (click on “Show Rules”) (não se aceitam inscrições em UCs de 2º ciclo)


Para mais detalhes sobre candidaturas e regime de funcionamento é favor consultar a nossa página específica com Informação sobre candidaturas, e ainda

Propinas

Informações sobre as propinas atuais podem ser consultadas na Área de Pós-Graduação do Técnico.
O valor anual ronda 3000€, tipicamente durante 4 anos.

Coordenadores

2019/2020
Luís Paulo Da Mota Capitão Lemos Alves
llalves@tecnico.ulisboa.pt

A informação contida nesta página é da responsabilidade da equipa de coordenação do curso.