Últimos anúncios

Objectivo, Avaliação e Planeamento da disciplina Formação Livre I

3 Outubro 2016, 10:41 José Epifânio da Franca

O objectivo da disciplina consiste em proporcionar aos alunos um espaço de trabalho que induza o desenvolvimento de competências transversais à sua formação e seja dinamizador de espírito de iniciativa e capacidade crítica. O tema que permitirá a concretização deste objectivo consistirá na análise do processo de criação de uma start-up de base tecnológica, a partir do estudo de uma realidade existente e livremente escolhida.


A avaliação será contínua e a presença nas aulas é obrigatória para garantir a continuidade e regularidade do trabalho realizado e fomentar a interacção. Cada falta corresponderá à dedução de 0,20 pontos.

O trabalho realizar-se-á em grupos de livre constituição pelos alunos, com 2 (mínimo) a 4 (máximo) elementos por grupo. Idealmente, deverão ser constituídos grupos de 3 elementos.

A escolha da start-up a estudar será da responsabilidade dos grupos. Será considerada qualquer start-up escolhida, sugerindo-se, no entanto, a escolha de uma start-up da carteira de participadas da Portugal Ventures em qualquer dos sectores de investimento - TechnologyLife Sciences & MedTecTravel & Leisure Tech e Engineering & Manufacturing. Esta lista de start-ups poderá ser consultada no link http://www.portugalventures.pt/en/content/portfolio.

O estudo de uma start-up permitirá estudar os vários aspectos fundamentais no processo da sua idealização, criação e desenvolvimento e que se descrevem no artigo "Starting YOU Up!" publicado no Número 6 do N3E Magazine. Uma cópia deste artigo está disponível na página da disciplina.

Os vários aspectos do estudo de uma start-up serão abordados nas aulas, de acordo com o seguinte planeamento:

04/10: definição dos grupos de trabalho e discussão das start-ups escolhidas. Discussão e elaboração do guião de entrevistas que deverão ser realizadas aos fundadores e pessoas-chave das start-ups. Discussão de tópicos de pesquisa online que deverão permitir a análise comparativa das características das start-ups em relação a outras realidades existentes nacional e internacionalmente.

11/10 e 18/10: descrição e discussão dos produtos e serviços oferecidos e dos aspectos fundamentais de conhecimento e engenharia que os suportam.

25/10 e 01/11: discussão do posicionamento do mercado e análise competitiva, quer através de informação recolhida da própria empresa e equipa de gestão (nomeadamente o CEO), quer através de pesquisa online autónomaDiscussão da proposta de valor que a empresa apresenta e que poderá justificar investimento.

08/11 e 15/11: análise do mercado: valor, crescimento e tendências mundiais que o poderão suportar. Características diferenciadoras e vantagens competitivas dos produtos ou serviços. Plano Go-to-Market. Estratégia de comunicação e vendas através de canais próprios ou indirectos (representantes e distribuidores). A informação de suporte deverá ser obtida, sobretudo, através de discussão com a empresa.

22/11 e 29/11: Plano de negócios a 3 anos: receitas, custos de produção, custos de vendas, custos de investigação e desenvolvimento, custos gerais da empresa, rendimento. Necessidades de financiamento por capitais próprios ou dívida. A informação de suporte deverá ser obtida através de discussão com a empresa.

06/12: Modelo organizacional, presente e futuro. Modelo de governo. Equipa e funções críticas. Plano de recrutamento. Conselho de peritos. A informação de suporte deverá ser obtida através de discussão com a empresa.

13/12: Análise e discussão crítica do trabalho, preparação para a apresentação final.

O trabalho final deverá ser entregue até 10 de Janeiro de 2017 e as discussões realizam-se na semana de 16-20 de Janeiro de 2017, em calendário a anunciar oportunamente.

Corpo Docente

José Epifânio da Franca

Responsável

josedafranca@gmail.com