Dissertação

"Arquitectura Incremental" como estratégia para o desenvolvimento sustentável: O caso da Quinta Monroy EVALUATED

A questão da habitação permanece um tema central no contexto da determinação dos modos de desenvolvimento das sociedades. A importância do crescimento constante da construção habitacional face a um aumento populacional inédito coloca hoje novas questões sobre a(s) forma(s) de estabelecer, num quadro de desenvolvimento sustentável, uma interação equilibrada, eficiente e respeitosa dos edifícios e pessoas com o seu entorno. Desafiados a construir um bairro social na Quinta Monroy, no Chile, para a população que nele residia – numa favela – há três décadas, Alejandro Aravena e o atelier ELEMENTAL propuseram um novo tipo de habitação social: as “meias-casas”. Aravena redefiniu o conceito de qualidade, avançando com a visão de uma habitação entregue com metade do volume em vazio e que, através da auto-construção, se valoriza ao longo do tempo. Esta filosofia/metodologia oferece aos habitantes urbanos destituídos a oportunidade de se tornarem proprietários da sua própria casa sem os riscos sociais da deslocação. Ao reconhecer as realidades dos assentamentos informais com parte da solução e não do problema facto, a ELEMENTAL propõe um novo prisma potencialmente muito adaptável a outros projectos (mesmo noutras culturas) e correspondentes aos desafios dos Sustainable Development Goals definidos pela ONU.
Arquitetura Incremental, auto-construção, assentamentos informais, população urbana  

Janeiro 22, 2019, 15:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Miguel José Das Neves Pires Amado

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Associado