Historial

Em 1971 foi criada, no Instituto Superior Técnico, a primeira cadeira de Engenharia Bioquímica no País que proporcionou aos alunos de Engenharia Química úteis conhecimentos de Biotecnologia. Mais tarde, em 1982, surgiu o ramo de Biotecnologia no curso de Engenharia Química, onde os assuntos de cariz biológica eram já alvo de doze disciplinas independentes que proporcionavam aos alunos um elevado grau de especialização. O aparecimento da licenciatura em Engenharia Biológica, no ano de 1997/98, resultou, assim, de uma evolução natural e desejável.

O desenvolvimento do ensino da Engenharia Biológica, no Departamento de Engenharia Química, foi acompanhado de um forte esforço de formação da componente humana que, nas áreas das ciências e tecnologias biológicas, congrega hoje, no Centro de Engenharia Biológica e Química (CEBQ) do IST, 25 professores doutorados. Ao longo dos anos, estes docentes têm fortalecido a componente de investigação que atingiu nível internacional, sem descurar a ligação ao tecido empresarial português. Asseguram ainda um Curso de Mestrado e uma área de Doutoramento em Biotecnologia.

Objectivos

A Licenciatura em Engenharia Biológica tem por objectivo formar engenheiros para desenvolver actividade profissional no acompanhamento, desenvolvimento e investigação de processos e produtos biológicos e também no projecto de indústrias biológicas. As suas áreas de intervenção específica situam-se em domínios multidisciplinares das Ciências e Tecnologias Biológicas e Químicas, nas Indústrias de Fermentação, Farmacêutica e Agro-alimentar, na Indústria Química e nas áreas Biomédica e Ambiental.

Saídas Profissionais

As saídas profissionais para os Licenciados em Engenharia Biológica são muito diversificadas, na Indústria, em Gabinetes de Projecto e Consultoria, em Empresas Comerciais, em Organismos Estatais, em Instituições de Ensino e de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico. Estes Licenciados estão habilitados para desenvolver actividades em áreas multidisciplinares das Ciências e Tecnologias Biológicas e Químicas. Assim, encontram saídas profissionais nas Indústrias de Fermentação, Farmacêutica e Agro-Alimentar, na Indústria Química e em domínios de intervenção da Bioengenharia e da Microbiologia nas áreas Biomédica e Ambiental. Estas saídas profissionais estendem-se das muito numerosas actividades ligadas às biotecnologias mais tradicionais até às que derivam das novas biotecnologias de base molecular.

Coordenadores

2007/2008
Isabel Maria De Sá Correia Leite de Almeida
isacorreia@tecnico.ulisboa.pt

A informação contida nesta página é da responsabilidade da equipa de coordenação do curso.