Métodos de Avaliação

A avaliação da disciplina de Sistemas Distribuídos (SD) tem 2 componentes: laboratorial (50%) e teórica (50%).

 

1) Componente Laboratorial

A nota da componente laboratorial é definida pelo máximo do par (100% nota projeto, 85% nota projeto + 15% nota mini-exercícios).

 

1.a) Sub-componente projeto

Projeto realizado em duas fases, com nota mínima final de 9 (nove) valores. O projeto é realizado em grupos de 3 alunos. A nota é individual a cada membro do grupo.

 

1.b) Sub-componente mini-exercícios

Avalia o conhecimento adquirido em 3 laboratórios, com perguntas de grande detalhe mas de resolução simples para quem preparou e resolveu adequadamente o guião de cada laboratório. Os três mini-exercícios têm o mesmo peso.

Uma semana antes de cada laboratório avaliado, será publicada a documentação e um exercício a resolver pelos alunos, por forma a que o laboratório seja preparado previamente pelos alunos.

No início da aula de laboratório, é dada aos alunos uma alínea adicional que complementa o enunciado previamente conhecido do exercício. Cada grupo tem até ao fim da aula para concluir o exercício completo (exercício base + alínea dada na aula) e mostrá-lo ao docente. O exercício completo estará dimensionado para ser resolvido dentro do tempo disponível na aula, embora os alunos possam resolver grande parte do mesmo antes da própria aula. Todos os membros do grupo terão que estar preparados para explicar a solução apresentada. A nota é individual a cada membro do grupo.

Caso um aluno falte a um laboratório avaliado tem nota nula nesse exercício. O aluno pode, mediante justificação adequada, pedir aos docentes envolvidos para frequentar um outro turno durante a mesma semana e realizar o exercício fora do horário habitual. Finda a semana do laboratório, já não será possível realizar o exercício.

Esta sub-componente é opcional. Caso a nota da avaliação dos mini-exercícios seja inferior à nota da componente de projeto, é usada a nota de projeto.

 

2) Componente Teórica

A nota da componente teórica é definida pelo máximo do par:

(100% nota exame,

 80% nota exame + 20% nota mini-testes)

A nota mínima da parte teórica é de 9,0 (nove) valores. No cálculo da nota mínima, da média dos mini-testes, e da nota final não são feitos arredondamentos das notas parcelares.

 

2.a) Sub-componente testes

A primeira sub-componente é obrigatória e consiste num exame. Na época de recurso, o aluno poderá repescar o exame. A nota da repescagem conta apenas no caso de melhorar a nota do aluno.

 

2.b) Sub-componente mini-testes

A segunda sub-componente é opcional e consiste numa avaliação por 3 mini testes a realizar no final de algumas aulas teóricas. Os mini-testes têm o mesmo peso. Esta componente pode valer 20% da nota da teórica, mas apenas será considerada se as notas dos mini-testes subirem a nota do exame.

 

Aproveitamento de notas anteriores: a nota da componente laboratorial do ano letivo anterior pode ser reaproveitada (como um todo) este ano, caso seja positiva (>=10).

 

Trabalhadores-estudantes: os alunos em situação de trabalhador-estudante comprovada pela secretaria podem optar por não realizar a Componente Contínua, sendo nesse caso avaliados por: 50% Teórica + 50% Laboratorial.

 

Época especial

Avaliação dada por: 50% Teórica + 50% Projeto.

Componente teórica: Exame de época especial; não se permite aproveitar nota de componente teórica de época normal.

Componente Laboratorial:  projeto realizado individualmente em época especial; pode ser usada a nota do projeto feito no ano letivo anterior ou na época normal deste ano letivo.