Dissertação

{en_GB=Optimization of Mesenchymal Stromal Cell Culture Methodologies Towards the Development of a Cell Therapy for Autoimmune Diseases} {} CONFIRMED

{pt=A otimização da produção em larga escala de células mesenquimais estromais (MSC) para o desenvolvimento de produtos de terapia celular é uma área que tem despertado crescente interesse. Neste trabalho foi investigada a criopreservação de MSC em diferentes meios. A viabilidade pós-descongelamento das células criopreservadas em Cryostor CS5 foi de 86,1±1,3%, o que é superior à viabilidade obtida para criopreservação em meio de cultura com 10% DMSO, considerado o standard. A caracterização do imunofenótipo das células após descongelação revelou a ausência de alterações significativas em relação ao esperado. Soluções de transporte foram também avaliadas enquanto alternativa à criopreservação. 2-8 Cellsius revelou-se eficaz na manutenção da viabilidade celular acima dos 70% durante 5-7 dias. Comparativamente, meio de cultura durou 3-4 dias e o uso de meio condicionado não se revelou vantajoso. Encapsulamento em alginato foi eficaz na manutenção de células à temperatura ambiente durante 11 dias, sendo a viabilidade celular após encapsulamento 80,3±1,3%. Depois do encapsulamento, as células suportaram a expansão de células hematopoiéticas. Todas as soluções de transporte permitiram que as MSC conservassem o imunofenótipo, a aderência e o potencial de diferenciação em várias linhagens, durante todo o ensaio. Uma análise dos custos de produção de MSC revelou que o número de passos de criopreservação e de passagens celulares entre eles influencia o custo por dose de uma terapia celular. O impacto destas soluções na qualidade e funcionalidade das MSC apresentado neste trabalho irá contribuir para a mais rápida aplicação do seu potencial terapêutico na clínica., en=The optimization of large-scale manufacturing of Mesenchymal Stromal Cells (MSC) towards the development of cell therapy products is an area of growing interest. In this work, cryopreservation using different media was assessed and a post-thawing cell viability of 86.1±1.3% was obtained for 1-month cryopreservation in Cryostor CS5, outperforming the standard culture medium with 10% DMSO. Post-thawing immunophenotype characterization revealed no significant alterations. Short-term transport solutions, namely fresh culture medium, conditioned culture medium and commercially available media, were also evaluated as a possible alternative to cryopreservation and 2-8 Cellsius was found to be effective in maintaining cell viability above 70% for 5-7 days. Comparatively, both HPL and FBS-supplemented culture medium maintained cell viability above 70% for 3-4 days and the use of conditioned medium was not found particularly beneficial. Alginate encapsulation effectively maintained MSC at RT for 11 days with post-release cell viability of 80.3±1.3%. Additionally, post-encapsulation MSC were able to successfully support hematopoietic stem progenitor cells (HSPC) expansion. Cells retrieved from all transport solutions maintained normal immunophenotype, plastic adherence and multilineage differentiation potential throughout the assay. The Cost of Goods analysis of the production of an MSC-based product revealed that the number of cryopreservation steps performed and the number of cell passages between them influences the final product’s cost/dose. The impact of cryopreservation and transport solutions on MSC quality and functionality, presented in this work will contribute to accelerate clinical translation of these cell products.}
{pt=Células Humanas Mesenquimais Estromais, Criopreservação Celular, Transporte Celular, Encapsulamento em Alginato, Custos de Produção, en=Human Mesenchymal Stromal Cells, Cell Cryopreservation, Cell Transport, Alginate Encapsulation, Cost of Goods}

Janeiro 21, 2021, 14:0

Orientação

ORIENTADOR

Ana Margarida Pires Fernandes Platzgummer

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar Convidado

ORIENTADOR

Francisco Ferreira dos Santos

Crioestaminal

Doutor