Dissertação

{pt_PT=Fatores de risco, efeito do capacete na biomecânica do impacto e simulação computacional de acidentes com velocípedes} {} EVALUATED

{pt=A necessidade de um meio de transporte mais barato e o pensamento ecológico das sociedades modernas resultam num aumento da popularidade da bicicleta. Na Europa, o número de acidentes envolvendo velocípedes são a segunda categoria com menor redução nos últimos anos, apenas ultrapassada pela categoria dos motociclos. Em 2013, Portugal foi o país com maior mortalidade/km percorrido, tornando este aumento de popularidade alarmante. Acidentes envolvendo velocípedes em Portugal, no período 2010-2015, foram analisados usando uma regressão logística ordinal para identificar fatores de risco do agravamento das lesões. Dos 8592 acidentes analisados, ciclistas sem capacete, de idade superior a 60 anos são mais prováveis de contrair lesões mais graves. Álcool, noite, zona fora localidade, veículos pesados, boa aderência, despistes, manobras e outras condições meteorológicas estão associadas a um aumento do risco de agravamento da lesão. As principais razões para a não utilização do capacete são elevadas temperaturas e comichão. Na amostra, o seu uso é mais provável em homens, idades entre 41-60 e maiores distâncias anuais e não prejudica a visão ou audição do ciclista. O uso do capacete ou colete de sinalização não se traduz em menores distâncias de ultrapassagem, comparando com a não utilização do capacete. O comportamento dos condutores de veículos motorizados não poderá ser alterado, provavelmente, modificando a aparência do ciclista. Usou-se um dispositivo de Arduino para medir e armazenar as distâncias. Dos 2 casos reais analisados no PC-Crash, o uso adequado de capacete poderia ter reduzido a probabilidade de fatalidade e o agravamento das lesões., en=The need of a cheaper way of transportation allied with modern eco societies thinking, results in an increasing of bicycle popularity. In Europe, bicycle accidents are the second category with the lowest fatality reduction, next to motorcycle category, in the last years. Portugal is the European country with higher mortality per km ratio, in 2013, making this popularity growth alarming. Portugal´s bicycle accidents, from 2010 to 2015, were analyzed with an ordered logistic regression in order to identify the risk factors associated with the injury outcome. Of the 8592 accidents analyzed, over 60 years old and un-helmeted cyclists are more likely to suffer severe injuries when involved in an accident. Alcohol, night period, rural areas, collisions with trucks, surface good grip, single vehicle accidents, maneuvers and other weather conditions are also likely to increase the severity of the injury outcome. The main reasons for helmet non-usage are head overheating and itchiness. Its use, among in the inquired 100 people sample, is more likely for male cyclists, ages between 41-60 and higher annual cycling distance. Helmet does not difficult cyclists´ visual or earing skills. Helmet or high visibility vest use does not translate in closer pathing overtakes, comparing to unhelmet cyclists. Motor vehicle drivers´ behavior regarding overtaking probably cannot be changed by modifying cyclist´s appearance. The tests were performed using an Arduino device to measure store data. From 2 real cases analyzed using PC-Crash, proper helmet use might reduce fatality chances head injuries aggravation.}
{pt=Capacete de bicicleta, Fatores de risco, Uso do capacete, Distâncias de ultrapassagem, Eficiência do capacete., en=Bicycle helmet, Cycling risk factors, Helmet use, Overtaking distances, Helmet effectiveness.}

Novembro 21, 2018, 14:0

Orientação

ORIENTADOR

João Manuel Pereira Dias

Departamento de Engenharia Mecânica (DEM)

Professor Auxiliar