Dissertação

{pt_PT=Impacto das Aves Marinhas no solo} {} EVALUATED

{pt=As aves marinhas coloniais ingerem alimentos que contêm oligoelementos que se acumulam nos seus tecidos, desde a sua área de alimentação até ao solo depositando-se nas fezes e em alimentos caídos no chão. Este padrão geral foi observado para os oligoelementos selecionados, além de poluentes orgânicos persistentes nas colónias de aves marinhas, em áreas polares e em alguns locais tropicais, mas ainda não foram demonstrados em Portugal. Se essa hipótese se comprovar nas condições ambientais nas colónias costeiras, prevemos que os solos nas colónias de aves marinhas devem ter concentrações elevadas de oligoelementos que são conhecidos por bioacumular e biomagnificar em redes alimentares marinhas, principalmente cádmio (Cd), mercúrio (Hg), selênio (Se), cobre (Cu), zinco (Zn) e estrôncio (Sr). Assumindo que este padrão tenha existido durante séculos, também prevemos que, ao analisarmos amostras de solo na zona das colónias, veremos variação, mas de níveis elevados desses oligoelementos, em comparação com solos semelhantes de áreas próximas, mas que não exista uma colónia de aves marinhas. Pela nossa perpectiva estamos à espera de que os solos estejam contaminados por vários metais devido ao biotransporte das aves que se alimentam através do ambiente marinho que está contaminado. Porém, através das análises feitas, não chegamos a esta conclusão, de facto, não existe diferença na concentração dos vários metais, que muitas vezes são mais elevados onde existe colónias de aves marinhas (baseados noutros estudos)., en=Colonial seabirds ingest food that contains oligoelements that accumulate in their tissues, from their feeding area to the soil depositing in the feces and food lying on the ground. This general pattern was observed for selected oligoelements, as well as persistent inorganic and organic pollutants in seabird colonies, in polar areas and in some tropical locations, but have not yet been demonstrated in Portugal. Consumers are known to bioaccumulate and biomagnify marine food networks, mainly cadmium (Cd), mercury (Hg), selenium (Se), copper (Cu), zinc (Zn) and strontium (Sr). If this pattern has existed for centuries, we also predict that, when analyzing soil samples in the colonies, we will see variation, but high levels compared to nearby soils but no colony of seabirds. From your perspective, we expected the soils to be contaminated by various elements because of biotransport by birds feeding in a contaminated marine environment (based on the results from many other studies, even some near the site; e.g Otero et al., 2018). However, based on the analyses that I ran, I did not see this at all – in fact, there was no difference in concentrations of several elements which often are higher at colonies of seabirds in other studies.}
{pt=Aves marinhas, isótopos, técnicas, amostras, digestão, contaminantes., en=Seabirds, isotopes, techniques, samples, digestion, contaminants.}

Novembro 30, 2018, 14:0

Orientação

ORIENTADOR

João Alfredo Vieira Canário

Departamento de Engenharia Química (DEQ)

Prof Auxiliar Convidado

ORIENTADOR

Mark Mallory

Department of Biology - Acadia University - Canada

Especialista