Dissertação

{pt_PT=Análise de Risco com abordagem de Correspondência Ambiental para Aplicação de Isenções a Navios dentro da Área do porto de Lisboa} {} EVALUATED

{pt=As águas de lastro são o principal vetor de transporte de espécies não-indígenas e criptogénicas resultante de atividade humana desde a construção dos primeiros navios de aço. Em 2004, a Organização Internacional Marítima adotou a Convenção para a Gestão e Controlo de Águas e Sedimentos de Lastro, que entrou em vigor em setembro de 2017, exigindo aos navios que cumprissem padrões definidos, o que implica a instalação de sistemas caros de tratamento de água de lastro a bordo. No entanto, de acordo com a Convenção, navios podem candidatar-se à aplicação de uma isenção desde que uma Análise de Risco adequada resultando em cenários de baixo risco para o navio requerente seja realizada de acordo com as diretrizes legais. Assim, a presente Análise de Risco foi desenvolvida como mecanismo de apoio à decisão sob a forma de uma abordagem seletiva de correspondência ambiental baseada na premissa de que a sobrevivência de espécies num ambiente recetor depende da semelhança das condições ambientais da região nativa. Com o objetivo de explicar a semelhança ambiental, um modelo teórico foi desenvolvido através da utilização do método estatístico de Análise das Correspondências da nuvem de pontos gerada pelas variáveis quantitativas e qualitativas em estudo. Esta análise conclui que, mesmo para um regime de baixa tolerância, várias isenções poderiam ser concedidas a navios que realizem rotas entre Lisboa e portos de baixo risco, o que resulta num montante total significativo de custos poupados evitando a instalação de sistemas dispendiosos de tratamento de águas de lastro. , en=Ballast water is the primary vector of human-mediated transportation, discharge and introduction of non-indigenous and cryptogenic species since the construction of the first iron vessels. At least 154 aquatic organisms have established themselves in Portuguese coasts from all over the world and the same trend has been observed in almost every coastal state. In 2004, the International Maritime Organization adopted the Convention for management and control of ballast water and sediments, which entered into force in September 2017, requiring vessels to fulfill defined standards and to do so vessels must install high-priced Ballast Water Treatment Systems. However, according to the legislated Convention vessels may apply to an exemption provided that an adequate Risk Assessment, resulting in a low risk scenario for the applicant, is conducted according the legal Guidelines. A Risk Assessment was developed as a decision support mechanism in the form of a selective environmental matching approach based the premise that species thrive in new locations with environmental conditions similar to their native region. Aiming to explain environmental similarity, a theoretical model was developed using Correspondence Analysis of the scatterplot of quantitative and qualitative variables. This analysis concludes that even with a low tolerance regime, several exemptions could be granted to ships connecting Lisbon and low risk ports, resulting in a significant amount of saved costs avoiding the installation of expensive ballast water treatment systems. }
{pt=Águas de lastro, análise de risco, espécies não-indígenas, correspondência ambiental, análise das correspondências, en=Ballast water, risk analysis, non-indigenous species, environmental-matching, correspondence analysis}

Dezembro 5, 2017, 8:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

António Jorge Gonçalves de Sousa

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Catedrático

ORIENTADOR

Paula Chainho

FCUL

Especialista