Ver Post

Radiofármacos para Diagnóstico e Terapêutica

20 Maio 2013, 17:05 - Helena Maria Lopes Romão Borges

Caros colegas, alunos e alumni,

Estão todos convidados a assistir à próxima palestra DEEC-Pal, no próximo dia 22 de Maio, 4ª feira, pelas 17h, no anfiteatro EA2, Torre Norte, Alameda. A palestra estará a cargo do Dr. Durval Costa, Fundação Champalimaud, tendo como tema:

Radiofármacos para Diagnóstico e Terapêutica
Conto com todos. Será uma óptima forma de darmos início no DEEC às comemorações do aniversário do IST.

Saudações académicas
Isabel Trancoso
__________________________________________________________

Rádiofármacos para Diagnóstico e Terapêutica
Durval C. Costa, MD; MSc, PhD, FRCR.
Diretor – Medicina Nuclear-Radiofarmacologia – Fundação Champalimaud
Os radiofármacos são moléculas compostas de um elemento não estável (emissor de fotão, positrão ou partícula alfa) e um fármaco com características farmacológicas e funcionais específicas. A molécula assim composta passa a ter características e propriedades físicas intrínsecas do radionuclídeo (elemento radioactivo) e também do fármaco.
A semi-vida física, a farmacocinética e a farmacodinamia regem assim as variáveis que nos permitem obter os efeitos diagnósticos e terapêuticos desejados.
O uso clínico está razoavelmente divulgado, mas é em áreas variadas da investigação científica que o impacto dos radiofármacos tem sido mais evidente. Investigação básica (instrumentação, fisiopatologia, radiofarmacologia), translacional e clínica (oncologia, cardiologia, neurologia e psiquiatria) são as bases para o desenvolvimento das metodologias que usam radiofármacos.
Finalmente, e face ao uso de radiação ionizante, existe legislação nacional e internacional que rege as práticas que envolvem o uso de radiofármacos.