Dissertação

{pt=The Browserver} {} EVALUATED

{pt=As aplicações Web de hoje são desenvolvidas sobre o princípio de que os utilizadores podem interagir com estas através de um genérico e universal browser. No entanto, o paradigma cliente-servidor define o cliente como a única entidade com capacidade de iniciativa real, desempenhando o servidor um papel passivo na relação. Além disso, aplicações centradas no servidor frequentemente não garantem a privacidade da informação, o que resulta em relutância na sua utilização. Apesar de já realizarmos serviços na Web, não somos vistos como fornecedores de serviços, sendo apenas meros consumidores de serviços e recursos que outras entidades disponibilizam (e.g. Google apps). Somos incapazes de publicar e oferecer as nossas próprias capacidades na Web, devendo-se isso à falta de interoperabilidade e de uma interface de utilizador genérica e universal, para unificar serviços humanos e electrónicos. Esta dissertação incide sobre o Browserver (que inclui um browser e um servidor) como interface humana para serviços e plataforma genérica e universal para fornecimento de serviços. A capacitação de indivíduos e PMEs com uma plataforma de baixo custo para suporte a workflows que não requer infra-estruturas dispendiosas, garantindo a privacidade da informação e minimizando a dependência de terceiros é o objectivo do Browserver. Foca-se a mudança de paradigma de cliente-servidor para peer-to-peer (P2P), possibilitando interacções directas entre entidades sem necessidade de intermediários aplicacionais. Uma solução arquitectural e uma implementação utilizando tecnologias existentes são descritas e são apresentados alguns cenários, comparando o uso do Browserver face a soluções tradicionais para interacções inter-organizacionais e entre empresas e clientes. , en=Web applications are now built on the principle that users interact with them through a generic, universal browser. However, the client-server paradigm defines the client as the sole entity with real initiative capacity, being the server a passive entity in the relationship. Also, server-centric applications often do not guarantee information privacy resulting in reluctance in its usage. Although we already perform services in the Web, we are not seen as service providers, as we are still mere consumers of services and resources that other entities provide (e.g. Google apps). We are still unable to publish and offer our own capabilities in the Web and that is due to the lack of interoperability and a generic and universally used user interface for services to unify human and electronic services. This dissertation presents the Browserver (which includes a browser and a server) as a human interface for web services and a generic universal platform for service provisioning. The empowerment of individuals and SMEs with a low cost workflow support platform that does not require expensive infrastructures, while ensuring information privacy and minimizing third-party dependency is the aim of the Browserver. The solution focus on changing from client-server to a peer-to-peer (P2P) paradigm, enabling direct interactions between entities and extinguishing the need for applicational intermediaries. An architectural solution and an implementation approach existing technologies are described. The dissertation further presents business scenarios and compares the use of the Browserver facing traditional solutions for inter-organizational and business to client interactions.}
{pt=Serviços, Interface de Utilizador, Browser, Servidor, Peer-to-Peer, Workflow, en=Services, User Interface, Browser, Server, Peer-to-Peer, Workflow}

Outubro 29, 2010, 14:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

José Carlos Martins Delgado

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Professor Associado