Dissertação

{en_GB=Bargaining Dynamics in an Uncertain World} {} EVALUATED

{pt=As mais recentes cimeiras que visam reduzir as emissões de gases de efeito de estufa não estabeleceram acordos suficientemente robustos. Mudanças por um país apenas não tem impacto suficiente para mitigar este problema. A salvação do planeta requer cooperação. Perceber como ocorre a cooperação é fundamental à resolução deste problema. A Teoria de Jogos permite o estudo deste tipo de conflitos entre interesses sociais e individuais. Este trabalho foca-se no estudo da cooperação em situações de negociação, desenvolvendo modelos com novos mecanismos e estudando o seu efeito na cooperação. Os modelos são centrados na dinâmica das negociações na presença de incerteza nos objetivos coletivos e nos processos de decisão dos países. O estudo destes mecanimos é possível usando simulações em sistemas multi-agente. Concluímos que vários fatores e a sua combinação podem ter um grande efeito no resultado e na viabilidade das negociações entre países. Mostramos que a utilização de todas as jogadas de um jogador para prever a sua próxima produz melhores resultados que utilizando apenas um subconjunto. Irracionalidade nas escolhas dos jogadores influencia negativamente as negociações, apesar dos jogadores conseguirem adaptar-se a jogadas inesperadas. Verificamos que os jogadores têm problemas na adaptação a variações no objetivo coletivo, sejam aleatórias ou dependentes do desempenho destes. Analise de diferentes estratégias de disposição ao risco provou que populações cautelosas prosperam melhor que populações que arriscam. As últimas obtêm melhores resultados quando o objetivo global é incerto, ultrapassando sociedades cautelosas. Ser dado ao risco pode ser benéfico na presença de incerteza nos objetivos., en=Recent conventions aiming to reduce greenhouse gas emissions failed to secure robust agreements in this regard. Changes by a single country do not have enough significance to mitigate this problem. Saving the planet requires cooperation. Understanding how cooperation occurs may be one of the keys to solve this problem. Game Theory allows the study of this type of conflicts between individual and collective interests. This work focuses on the study of cooperation in bargaining situations, developing models with new mechanisms and studying their effect in cooperation. The models are centered on the dynamics of negotiations in the presence of uncertainty in collective goals and the countries’ decision processes. Studying this mechanisms is possible using multi-agent systems simulations. We conclude that several factors and their combination can greatly affect the outcome and feasibility of negotiations between countries. We show that using a player’s full set of moves to predict the next one produces better results than using a subset. Irrationality in the player’s choices influences negotiations in a negative way, although the players can adapt to erratic moves. We verified that players have trouble adapting to variations in the collective goal, be those changes random or depending on the player’s performance. Analysis of different risk taking strategies also proves that risk averse populations thrive better than risk prone ones. Risk prone societies, however, obtain better results when the collective goal is uncertain, surpassing risk averse societies, so being risk prone may be beneficial in the presence of uncertainty in collective goals.}
{pt=Cooperação Teoria de Jogos Incerteza, en=Cooperation Game Theory Uncertainty}

Fevereiro 20, 2018, 10:30

Orientação

ORIENTADOR

Francisco João Duarte Cordeiro Correia dos Santos

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Professor Associado

ORIENTADOR

Fernando Pedro Pascoal dos Santos

GAIPS (INESC-ID )

Especialista