Dissertação

{en_GB=The effect of a schizophrenia polygenic risk score on brain function during verbal fluency in health, schizophrenia and bipolar disorder} {} EVALUATED

{pt=Doenças psicóticas, como a esquizofrenia (SCZ) e a doença bipolar (BD), são hereditárias e apresentam uma arquitetura poligénica. De forma a validar o efeito de variantes genéticos de risco na suscetibilidade para a psicose, o seu impacto em fenótipos intermediários presentes nestas doenças deve ser investigado. Este estudo exploratório testou o efeito de um score de risco poligénico (PRS) calculado para a SCZ, que combina o impacto de vários fatores genéticos de risco, na ativação e conectividade funcional cerebrais presentes durante uma tarefa de fluência verbal (VF), um fenótipo intermediário em que doentes com SCZ e BD apresentam alterações. Para tal, imagens de ressonância magnética funcional (fMRI) foram adquiridas numa amostra constituída por controlos (n=39), doentes com BD (n=25) e com SCZ (n=10) e familiares saudáveis (n=27). As imagens foram analisadas usando um método de mapeamento estatístico paramétrico, tendo em conta dos efeitos do diagnóstico e de várias covariáveis sem interesse. Encontrei uma tendência negativa entre o PRS e a ativação da circunvolução frontal inferior esquerda e da ínsula direita em todos os participantes, mas mais predominante nos controlos, possivelmente devido à maior dimensão do grupo. O PRS está também associado, num nível não-corrigido, a uma maior conectividade entre a circunvolução frontal inferior esquerda com a circunvolução angular esquerda (na BD) e com o tálamo esquerdo e a circunvolução lingual direita (nos familiares), áreas relacionadas com a linguagem. Estes resultados indicam que os SCZ-PRSs podem prever alterações da função cerebral, sendo no entanto necessária uma validação num estudo independente., en=Psychotic disorders, including schizophrenia (SCZ) and bipolar disorder (BD), are highly heritable illnesses with a polygenic and overlapping architecture. To better characterize and validate the effect of previously identified genetic risk variants on psychosis susceptibility, their impact on the intermediate phenotypes of these disorders warrants examination. I investigated for the first time the effect of a polygenic risk score (PRS) for SCZ, which gathers the cumulative impact of several genetic risk factors, on brain activation and connectivity during verbal fluency (VF), an intermediate phenotype showing impairment in SCZ and BD. For this, functional magnetic resonance images (fMRI) were collected from a group of SCZ (n=10) and BD (n=25) patients, their healthy relatives (n=27) and healthy controls (n=39). The fMRI data were analyzed using statistical parametric mapping, in order to identify the effects of PRS on brain activation and on task-modulated connectivity, taking into account the effects of diagnosis as well as a number of nuisance covariates. I found a negative association trend (uncorrected for multiple comparisons) between the SCZ-PRS and the activation of the language-related left inferior frontal gyrus and right insula, effects that were more pronounced in the control group. I also found a positive trend between the SCZ-PRS and the task-modulated connectivity of the left inferior frontal gyrus with the left angular gyrus (in BD) and left thalamus and right lingual gyrus (in relatives), areas also implicated in language. These findings suggest that SCZ-PRSs may preclude changes in brain function during VF – and now warrant independent validation.}
{pt=score de risco poligénico, esquizofrenia, fluência verbal, fMRI, endofenótipo, imagiologia genética, en=polygenic risk score, schizophrenia, verbal fluency, fMRI, endophenotype, imaging genetics}

Novembro 15, 2017, 11:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Diana Maria Pinto Prata

Instituto de Medicina Molecular

Investigador Principal

ORIENTADOR

Patrícia Margarida Piedade Figueiredo

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar