Dissertação

{en_GB=Small production units: Does law impair generation and financial viability?} {} EVALUATED

{pt=A legislação portuguesa contempla dois perfis de geração de energias renováveis: Unidades de Produção para Auto-consumo (UPAC) e Unidades de Pequena Produção (UPP). A potência de ligação das UPP está legalmente limitada à potência contratada. Tendo em conta que a potência contratada é, muita vezes, inferior ao potêncial de geração das residências (especialmente as rurais) levantam-se questões sobre a viabilidade financeira e energética destes projetos. O presente trabalho debruça-se sobre viabilidade financeira e energética de sistemas fotovoltaicos em regime de UPP desenvolvidos tendo em conta as limitações legais portuguesas versus explorando ao máximo o recurso solar. Para tal, são dimensionados três sistemas fotovoltaicos com ajuda de imagens de satélite e software especializado em modelação 3D de construções. Dois destes projetos são desenvolvidos com o objetivo de aproveitar ao máximo o recurso solar na propriedade sem deixarem de ser realistas. O terceiro projeto é desenvolvido de acordo com os limites legais. Verifica-se que o projeto desenhado para aproveitar ao máximo a energia solar através de vidro fotovoltaico apresenta um valor atualizado líquido (NPV) negativo , logo é inviável. Os restantes projetos apresentam custo da energia produzida e NPV muito semelhantes. O projecto desenhado de acordo com a lei apresenta menor investimento inicial e menor período de retorno. A diferença de produção entre projectos não é significativa. Conclui-se que a lei portuguesa não invialibiza os projectos fotovoltaicos domésticos em regime UPP e que não impede que o potencial energético dos edifícios seja explorado com sucesso., en=Portuguese law considers two generation profiles for renewable energy: Small production units, Unidade de pequena produção (UPP) and Self consumption units, Unidades de produção para auto-consumo (UPAC). For UPPs connection power is limited by the contracted power. Oftentimes contacted power is lower than the generation potential in the property, therefore some concerns are raised about the power and financial viability of UPP projects. This work focus on the financial and power viability of UPP projects designed according to the current law versus the projects developed to take advantage of the available solar power. To study this, three solar systems are designed with the help of Building Information Modelling software, laboratory tests and satellite images. Two of these projects are designed with the intent of maximising generation while still being conceivable: one using solar glass and the other is designed to replace the carport cover on the property. The third project is designed according to legal power limitations. It's observed that the project that uses solar glass has a Net present value, Valor atual l´ıquido (NPV), meaning it is not viable. The other two projects have a positive NPV. Project three has lower initial investment and a smaller payback period. The difference in generated power is not significant. Hence, one can conclude that Portuguese law does not impair the UPP energy and financial viability. }
{pt=Unidades de Pequena Produção, Projeto Fotovoltaico, Viabilidade Financeira, Produção Energética, Sistema Fotovoltaico Residencial, en=Small Production Units, Photovoltaic Systems, Financial Viability, Power Generation, Residential Photovoltaic Systems}

Outubro 6, 2020, 15:0

Orientação

ORIENTADOR

João Paulo Neto Torres

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores (DEEC)

Professor Auxiliar Convidado

ORIENTADOR

Carlos Alberto Ferreira Fernandes

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores (DEEC)

Professor Aposentado