Dissertação

{pt_PT=Dinâmicas de punição em populações estruturadas } {} EVALUATED

{pt=Compreender os mecanismos evolutivos que promovem e mantêm o comportamento cooperativo continua a ser um desafio para um grande número de disciplinas científicas. Existem várias e diferentes situações onde os humanos cooperam nos chamados jogos de bem público, contrariamente ao que seria racionalmente expectável baseado na racionalidade, teoria de jogos, ou maximização de fitness. O elevado custo de punir aqueles que não cooperam é descrito como um dos possíveis caminhos que leva a cooperação. No entanto, aqueles que se recusam a suportar os custos de punição levam a uma redução da eficácia das instituições de punição, levando a um problema de cooperação de segunda ordem. Nesta tese, estudamos com uma rede de contactos afecta a prevalência das instituições de punição e o seu impacto na cooperação em Jogos de Bem Público. Nós mostramos que estruturas de redes homogêneas aumenta as chances de chegar a números estáveis dos números de instituições de punição, ainda que para um número limitado de parâmetros. Para redes estruturadas que geram diversidade em número e tamanho de esforços colectivos que cada agente participa, tanto a cooperação como as instituições punitivas prevalecem para um grande número de parâmetros. Os nossos resultados baseiam-se em simulações computacionais de larga escala e modelos de jogos de teoria evolutiva e sugerem que a rede de contactos tem um papel importante na resolução tanto do problema de primeira ordem como de segunda., en=Understanding the evolutionary mechanisms that promote and maintain cooperative behaviour remains an open challenge for a wide range of scientific disciplines. There are several different situations where humans cooperate in the so-called public goods games, contrary to what one would expect from reasonings based on rationality, game theory, or fitness maximization. Costly punishment of free-riders is often emphasised as one of the possible routes to cooperation. However, those that refuse to support the costs of sanctioning reduce the effectiveness of punishment institutions, leading to a second-order cooperation problem. In this thesis, we study how an underlying network of contacts affects the prevalence of sanctioning institutions and their impact on cooperation in Public Goods Games. We show that homogeneous network structure enhances the chances of getting stable sanctioning institutions, yet within a small window of game parameters. Differently, when the network structure leads to diversity in the number and size of the collective endeavours each agent participates, both cooperation and sanctioning institutions prevail for a wide range of parameters. Our results rely on large-scale computer simulations and evolutionary game theoretical models and suggest that the network of contacts play an important role in solving both first and second-order free-riding problems.}
{pt=Jogos de bem público, Punição, Instituições punitivas, Populações estruturadas, en=Public Goods Games, Game Theory, Sanctioning Institutions, Structured Populations}

Junho 20, 2018, 11:15

Orientação

ORIENTADOR

Francisco João Duarte Cordeiro Correia dos Santos

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Professor Associado

ORIENTADOR

Fernando Pedro Pascoal dos Santos

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Colaborador Docente