Dissertação

{en_GB=Biofilm formation by the human pathogen Candida glabrata: The regulator CgEfg2 and its targets} {} EVALUATED

{pt=Candida glabrata é um agente patogénico oportunista capaz de formar biofilmes, favorecendo colonizações persistentes e infeções. Compreender os mecanismos moleculares que controlam este fenómeno é essencial para conceber estratégias antifúngicas melhoradas. Neste trabalho foi investigado o papel de Efg2, codificado pela ORF CAGL0M07634g, no controlo da formação de biofilmes por C. glabrata. Os resultados mostram que o EFG2 está envolvido na adesão a superfícies abióticas e abióticas. Experiências RNA-seq revelaram que sob condições de biofilme, células de C. glabrata parecem sofrer privação de carbono e azoto, e hipóxia, o que resulta numa redução da concentração celular de ergosterol. Genes relacionados com adesão, resistência ao stress e resistência a drogas encontraram-se sobre-expressos em células de biofilme. Um terço dos genes sobre-expressos em células de biofilme descobriu-se serem alvos de Efg2, incluindo muitos relacionados com as funções biológicas acima indicadas. Dados os dados de transcriptómica, o papel de Efg2 em vários processos foi investigado, mostrando que este não controla os níveis de ergosterol em células de biofilme, não confere resistência a azois em células planctónicas, mas que controla parcialmente a diferenciação em pseudohifas. O Efg2 encontrou-se permanentemente localizado ao longo de toda a célula, indicando que acumulação nuclear não é necessária para a sua ativação. Os motivos “CGATGS”, “CCATTGTY” e “CASAGAA” foram previstos como locais de ligação do Efg2. Este trabalho contribuiu para aprofundar o conhecimento sobre formação de biofilmes em C. glabrata e sobre o papel de Efg2 no processo, e espera-se que contribua para o desenho de terapias anti-biofilme melhoradas., en=Candida glabrata is an opportunistic pathogen capable of forming biofilms, that favor persistent colonization and infection. Understanding of the molecular mechanisms controlling this phenomenon is key to devise improved antifungal strategies. During this work, the role of Efg2, encoded by ORF CAGL0M07634g, on the control of C. glabrata biofilm formation was investigated. Results show that Efg2 is involved in the adhesion to biotic and abiotic surfaces. RNA-seq experiments suggest that when cultured under biofilm conditions C. glabrata appear to experience carbon and nitrogen limitation, and hypoxia, which appears to be linked to decreased cellular ergosterol concentrations. Genes related to adhesion and stress and drug resistance were also found up-regulated in biofilm cells. One third of the C. glabrata genes up-regulated in biofilm cells were found to be controlled by Efg2, including many related to the biological functions indicated above. Based on the indications coming from the transcriptomics data, the role of Efg2 in several processes was investigated, showing that Efg2 does not control ergosterol levels in biofilm cells, does not confer azole drug resistance in planktonic cells, but partially controls pseudohyphal differentiation. Efg2 was found to be permanently localized throughout the whole cell, indicating that nuclear accumulation is not required for Efg2 activation. The motives “CGATGS”, “CCATTGTY”, and “CASAGAA” were predicted as binding sites of Efg2. This work contributed to further the knowledge on biofilm formation in C. glabrata and on the role of Efg2 in the process, and is expected to contribute to the design of improved anti-biofilm therapies.}
{pt=Candida glabrata, EFG2, formação de biofilme, RNA-seq, en=Candida glabrata, EFG2, biofilm formation, RNA-seq}

Junho 11, 2018, 15:0

Orientação

ORIENTADOR

Miguel Nobre Parreira Cacho Teixeira

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar