Dissertação

{pt_PT=Edifício na Rua Eça de Queiroz 21-35} {} EVALUATED

{pt=Este documento surge na sequência do Projecto Final em Arquitectura II, onde nos é proposta a reabilitação de um edifício, sito em Lisboa, para funcionar como sede de uma empresa, na Rua Eça de Queiroz números 21 a 35. Levantam-se, imediatamente, questões como: O que é que este edifício devolve à cidade? Como responder ao tema da reabilitação em Lisboa? Por saber que ao responder a este programa tão vasto será necessário o aumento da cércea original do edifício, como integrar a nova fachada na cidade? Deve esconder-se, afirmar-se? Camuflar-se? Deve ser inexistente? Como se organiza um edifício sede de escritórios? A solução propõe a preservação dos dois pisos existentes, com a sua adaptação às exigências contemporâneas, e a adição de três pisos, dois dos quais albergam uma unidade de habitação partilhada. A coesão do edificado obtém-se pelo vazio do saguão, e pelo cheio das escadas e subsequente núcleo húmido. O vazio do saguão, germina e desenvolve, desenrolando-se e abrindo-se para as traseiras do edifício. A escada interior fria interliga os vários pisos, relacionando-se com o saguão, na sua verticalidade, e actuando como escada única de interligação da sede, bem como acesso à habitação. Nos diversos espaços do edifício os cheios modelam o espaço vazio, através dos núcleos - escritórios,dormitórios., en=This document appears in the sequence of Final Project in Architecture II, where it is proposed to develop the refurbishment of a building, located in Lisboa, to operate as a company's headquarters, at Rua Eça de Queiroz numbers 21 to 35. Some questions are immediatly brought about, as: What does this building give back to the city? How to respond to the theme of refurbishment in Lisboa? Knowing that with this vast program it will be necessary to increase the original height of the building, how to integrate the new façade in the city? Must it be hidden, assert itself? Should it be camouflaged? Should it be nonexistent? How do you organise an office headquarters building? The solution proposes the preservation of the two existent floors, with their adaptation to contemporary demands, and the increase of three floors, two of which house a unit of co-housing. The cohesion of the building is obtained by the emptiness of the atrium, the volume of stairs and subsequent humid core. The emptiness of the atrium, germinates and develops, unfolds and opens onto the back of the building. The cold interior staircase interconnects the various floors, in relation to the atrium, in its verticality, and acting as a unique ladder of interconnection through the headquarters, as well as giving access to the housing. In the several building spaces the volumes model the empty space, through the cores -offices, dorms.}
{pt=reabilitação, habitação partilhada, Lisboa, habitação, escritórios, projeto, en=cohousing, coliving, office, design, refurbishment, project}

Setembro 26, 2019, 16:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Miguel José Das Neves Pires Amado

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Associado