Dissertação

{pt_PT=Hidden figures What the JMP data do not tell us about groundwater use in urban Sub-Saharan Africa } {} APPROVED

{pt=A África Subsaariana (SSA) está passando por uma rápida urbanização e espera-se que a dependência das águas subterrâneas aumente, especialmente para os pobres urbanos. O atual esquema de monitoramento global do acesso à água, realizado pelo Programa de Monitoramento Conjunto (JMP), subestima o uso de água subterrânea de auto-abastecimento quando é uma fonte secundária. O presente estudo tem como objetivo estimar o uso da água subterrânea em Kampala, Arusha e Kano. Um método foi desenvolvido para estimar a porcentagem da população que usa água subterrânea por meio do auto-abastecimento. Um conjunto de variáveis que impulsionam o auto-abastecimento de águas subterrâneas é combinado através da análise espacial usando apenas dados abertos. Quando comparadas a pesquisas detalhadas, as estimativas de Kampala e Arusha provaram ser bastante precisas. Nossas estimativas de pessoas que usam água subterrânea para Kampala (33%), Arusha (78%) e Dodoma (64%) excedem os valores do JMP. Esses resultados mostram que os dados do JMP subestimam a extensão da dependência de água subterrânea das áreas urbanas. As limitações do método incluem o uso de dados regionais de água subterrânea para estimativas locais, assumindo um desenvolvimento uniforme da infraestrutura hídrica na cidade e não abordando a qualidade da água. No entanto, esse método é aplicável a outras cidades da região da SSA, fornecendo uma ferramenta para entender melhor a dependência das águas subterrâneas e apoiar medidas de gerenciamento de águas subterrâneas. Estudos futuros podem focar na ampliação do método ou em diferentes aplicações, como risco de qualidade da água., en=Sub-Saharan Africa (SSA) is undergoing rapid urbanization and dependence on groundwater is expected to increase, especially for the urban poor. The current scheme of global water access monitoring, carried out by the Joint-Monitoring Programme (JMP) neglects self-supply groundwater use when it is a secondary source. The present study aims to estimate groundwater use in Kampala, Arusha, Kano and Nairobi. A method was developed to estimate percentage of population using groundwater through self-supply. For the estimations, a set of variables that drive groundwater self-supply are combined though spatial analysis only using open data. When compared to detailed surveys, Kampala and Arusha’s estimations proved to be fairly accurate. Our estimations of people using groundwater for Kampala (33%), Arusha (78%) and Dodoma (64%) exceed JMP figures. These results show that JMP data underestimates the extent of groundwater reliance of urban areas, neglecting a key resource that can be subject to quality concerns and unsustainable withdrawal rates if left unmanaged. Limitations of the method include using regional groundwater data for local estimations, assuming a uniform water infrastructure development through the city and not addressing water quality, even though it’s a crucial matter. However, this method is applicable for other cities in the SSA region, providing a tool to further understand the groundwater dependence and support evidence-based groundwater management measures. Further studies can focus on up-scaling the method, or for different applications like water quality risk and sustainable yield for extraction.}
{pt=Uso urbano das águas subterrâneas, abastecimento, África Subsaariana, dados abertos, Sistemas de Informação Geográfica, en=Urban groundwater use, self-supply, Sub-Saharan Africa, open data, GIS}

Orientação

ORIENTADOR

Michael McClain

IHE Delft

Especialista

ORIENTADOR

Maria Teresa Condesso de Melo

Civil, Engenharia, Respostas e Inovação para a Sustentabilidade (CERIS)

Especialista