Dissertação

Haps: Hábitos para Personagens Sintéticas EVALUATED

A modelação de personagens sintéticas credíveis permite que se façam analogias com questões de áreas como a Biologia ou a Psicologia. Assim, a modelação de personagens sintéticas pode ter em consideração a questão da sobrevivência em organismos vivos. Com base na sobrevivência, surgem diversas propriedades homeostáticas que definem o equilíbrio de um organismo. O desequilíbrio de um organismo obriga à regulação do mesmo e, assim, interfere com o modo de vida. Uma personagem sintética pode também ter propriedades homeostáticas que definem o seu equilíbrio, no seu modo de vida, reagindo ao desequilíbrio dessas propriedades através do planeamento ou recorrendo a comportamentos já conhecidos, satisfatórios e, até, vistos como preferenciais. A esta segunda alternativa podemos dizer que corresponde a noção de hábito, ou seja, comportamentos que servem para atingir objectivos e que ganham ou perdem força ao longo do tempo e em diversas circunstâncias. Se a personagem se adaptar no ambiente onde actua e demonstrar um comportamento que permita a um observador externo detectar hábitos no seu comportamento, acredita-se que o nível de credibilidade pode aumentar. Assim, é proposto um modelo para a adopção de hábitos por parte de personagens sintéticas. Este modelo assume certos pressupostos para que possa ser implementado numa arquitectura para personagens sintéticas. O modelo foi posteriormente implementado, numa arquitectura para personagens sintéticas, e avaliado. Da avaliação podemos concluir que o modelo se adequa para que observadores externos detectem hábitos nas personagens e, por vezes, pode até aumentar a sua credibilidade.
hábito, personagens sintéticas, homeostase, credibilidade

Novembro 5, 2010, 11:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Carlos António Roque Martinho

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Professor Auxiliar