Dissertação

Coup Agents: Agents that play a deception game EVALUATED

Este trabalho investiga como construir um agente que, implementado numa entidade robótica, é capaz de jogar um jogo social de decepção, chamado COUP, ao mesmo nível de humanos. Para que tal seja possível, começámos por primeiro definir o problema em geral, seguido pela definição da solução a esse problema. Produzimos depois um algoritmo que implementámos no nosso agente de forma a tomar as decisões para o jogo do COUP. Este algoritmo é baseado na minimização de arrependimento contrafactual. Seguidamente, implementámos um sistema completo baseado na solução mencionada anteriormente com o objectivo de testarmos a nossa hipótese. Este sistema incluí a arquitectura do nosso agente, a interface do jogo e uma parte relativa ao robot que usámos para representar o nosso agente no mundo real, o EMYS. Para provarmos a nossa hipótese, criámos uma experiência com quatro diferentes condições, uma condição de grupo e uma individual, e uma condição de mentira, onde o agente era capaz de mentir, e uma condição de verdade, onde o agente só poderia agir de forma verdadeira. Em todas as condições o nosso agente foi capaz de jogar ao mesmo nível dos humanos, com excepção da condição individual em que podia mentir, onde foi levemente melhor jogador que os seus oponentes humanos. Isto prova que é realmente possível um agente artificial jogar um jogo de decepção ao mesmo nível de um humano. Finalmente, este documento também apresenta algumas sugestões para trabalho que pode ser realizado no futuro com o objectivo de melhorar este projecto em geral.
Decepção, Robot Social, Coup, Jogos de Tabuleiro, Interação Humano-Robot

Novembro 17, 2015, 9:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Ana Maria Severino de Almeida e Paiva

Departamento de Engenharia Informática (DEI)

Professor Catedrático