Dissertação

Emprego, Intensidade Tecnológica e Qualificações EVALUATED

A mudança tecnológica e a inovação afetam inúmeras áreas da sociedade, e em particular o mercado de trabalho, alterando a relação entre o emprego e a procura por determinadas qualificações. A presente dissertação pretende analisar como a intensidade tecnológica influencia a duração do emprego, tendo em conta o capital humano dos trabalhadores, tendo por base os dados obtidos no Inquérito ao Emprego de 2011 a 2013, do Instituto Nacional de Estatística. Esta análise é realizada a partir de um modelo econométrico de proportional hazards (piecewise exponential), devido à sua adequação aos nossos dados. A análise descritiva centra-se em sete determinantes que podem influenciar a duração do emprego, sendo eles o tempo de serviço, a idade, o género, a escolaridade, o tipo de contrato de trabalho, a intensidade tecnológica e de conhecimento do setor e, ainda, a interação entre esta última covariável com a escolaridade. Os resultados revelam que existe uma menor hazard de desemprego para trabalhadores com uma elevada duração de emprego, que possuam uma qualificação superior, que desenvolvam as suas funções em setores intensivos em tecnologia e conhecimento e para trabalhadores do género masculino. Verificou-se, por sua vez, uma maior hazard de desemprego em indivíduos com um contrato de trabalho com termo. No que diz respeito aos trabalhadores com qualificação superior, a trabalhar em setores intensivos em tecnologia e conhecimento, não conseguimos obter uma conclusão sólida, uma vez que os nossos resultados não se mostraram estatisticamente significativos.
Qualificações, Tecnologia, Duração do Emprego, Capital Humano, Modelos de Duração.

Maio 8, 2019, 15:30

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Hugo Miguel Fragoso de Castro Silva

Departamento de Engenharia e Gestão (DEG)

Professor Auxiliar Convidado