Dissertação

Economic and environmental impacts of the energy sector in Portugal EVALUATED

Análise input-output tem sido utilizada para determinar vários tipos de impactos em diversas áreas de estudo. Neste trabalho um modelo input-output hibrido é construído (unidades monetárias e energéticas) para calcular os impactos ambientais, económicos e sociais tanto para o sector energético como para o resto da economia. Apesar de haver alguns estudos que abordem problemas similares, este trabalho especifica pretende desagregar o sector energético em tecnologias e vetores energéticos para calcular os tipos de impactos mencionados na realidade Portuguesa desde 2000 a 2010. São estudados 3 tipos diferentes de efeitos: operacionais, investimento no sector energético e subsídios aos produtores de eletricidade associado ao défice tarifário. Estes efeitos são isolados e analisados relativamente aos diferentes tipos de impactos. Posteriormente é também apresentada uma desagregação por tecnologia e atividade evidenciando os impactos resultantes de cada efeito. Enquanto o efeito do desenvolvimento do mix energético tecnológico revela impactos que dependem do ano, os efeitos de capital mostram impactos positivos. Por sua vez, os impactos dos subsídios associados ao défice tarifário revelam-se negativos. Os impactos da política energética Portuguesa são obtidos combinando estes três efeitos. O resultado genérico demonstra que esta política foi positiva no que toca ao crescimento económico, emprego e emissões de gases de efeito de estufa. No entanto, em 2010 os impactos começam a revelar-se negativos a nível de emprego e valor acrescentado bruto, podendo indicar um impacto negativo crescente nos anos que se seguiram.
Input-output, modelo híbrido, emprego "verde", sector energético, subsídios

Novembro 28, 2014, 14:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

CO-ORIENTADOR

Carlos Augusto Santos Silva

Departamento de Física (DF)

Professor Associado Convidado

ORIENTADOR

João Filipe Dias Rodrigues

Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento (IN)

Investigador Auxiliar