Dissertação

Modelling propagation of wildfires using cellular automata EVALUATED

Desenvolveram-se e testaram-se autómatos celulares (AC) com o objetivo de modelar temporal e espacialmente a propagação de fogo em grandes incêndios. Os casos de estudo correspondem a quatro dos grandes fogos de 15 de outubro de 2017: Pataias-Burinhosa, Quiaios, Sertã e Arganil. Como modelo de base, escolheu-se uma versão simplificada do modelo AC de Alexandridis, desenvolvido para simular fogos na região do Mediterrâneo. Trata-se de um modelo de cariz probabilístico que tem em conta o efeito da vegetação, inclinação do terreno, velocidade e direção do vento na propagação do fogo. Introduzimos uma regra que permite que o fogo avance um determinado número de células segundo a direção do vento, quando a velocidade deste é elevada. O fogo pode saltar sobre células sem combustível, imitando o efeito de "spotting" (projeções levadas pelo vento que geram ignições a alguma distância da linha de fogo). Os nossos resultados mostram que estes modelos, em particular o modelo modificado, são adequados para simular incêndios levados a vento, como os casos estudados. As simulações dos fogos da região costeira com o modelo modificado resultaram numa progressão espaciotemporal mais realista. No caso da Sertã, melhorou-se significativamente a distribuição espacial da área ardida, refletindo a importância do "spotting". Mostrámos que a região de Pedrogão Grande poderia ter ardido como resultado do incêndio da Sertã caso não tivesse ardido em junho. Já as simulações do fogo de Arganil apresentam pior concordância com a referência. Por fim, mostrámos que os modelos AC implementados têm potencial operacional no combate aos incêndios.
incêndio florestal, autómatos celulares, gestão de fogo, vento, propagação de fogo, combate ao fogo

Junho 28, 2019, 15:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Rui Manuel Agostinho Dilão

Departamento de Física (DF)

Professor Auxiliar

ORIENTADOR

Carlos do Carmo de Portugal e Castro da Câmara

DEGGE da FCUL

Professor Associado