Dissertação

CP Violation in Symmetry-constrained Two Higgs Doublet Models EVALUATED

A recente descoberta de uma partícula semelhante ao Higgs no LHC levanta a questão de exitirem mais campos de Higgs na natureza e, existindo, se estão sujeitos a algum tipo de simetria. Nesta tese, revisitamos o efeito de simetrias no Modelo de Dois Dubletos de Higgs. O objecto de estudo são as transformações que deixam inalterados os termos cinéticos dos Higgs. Estas são divididas em duas categorias: transformações de base de Higgs e transformações generalizadas de CP. Verificamos que, quando imposta invariância sob estas transformações, se obtém seis classes de simetrias no sector escalar. Usando o formalismo bilinear para o potencial, averiguamos os constrangimentos de cada simetria no espaço de parâmetros, investigando também as suas propriedades sob CP. Inspecciona-se cada modelo para a possibilidade de se ter violação explícita ou espontânea de CP, com ou sem termos de quebra suave de simetria. Estudam-se as extensões das três simetrias generalizadas de CP para os acoplamentos de Yukawa. Mostra-se que é impossível propagar uma das simetrias, CP2, na sua forma primária para este sector sem introduzir quarks sem massa. Mostra-se também que apenas uma extensão de cada uma das restantes simetrias, CP1 e CP3, é permitida. Incluindo termos de quebra suave de simetria no último modelo, a violação de CP surge espontaneamente no sector fermiónico, em vez de explicitamente como no caso do Modelo Padrão, enquanto o sector escalar, que é responsável pelo mecanismo de quebra de simetria, continua a conservar CP.
Dubletos de Higgs, Potencial Escalar, Acoplamentos de Yukawa, Simetrias, Violação de CP

Novembro 22, 2013, 16:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Gustavo da Fonseca Castelo Branco

Departamento de Física (DF)

Professor Catedrático