Dissertação

High-scale neutrino mass degeneracy in the two-Higgs doublet model EVALUATED

O conhecimento actual do mundo subatómico assenta no Modelo Padrão da Física de Partículas, uma teoria que descreve as interacções e partículas fundamentais da Natureza, cuja última peça, o bosão de Higgs, foi descoberta em 2012, no CERN. Apesar dos seus enormes sucessos, este modelo não explica diversos fenómenos, o que conduziu à exploração de cenários para além do Modelo Padrão. Um cenário natural corresponde a extensões do sector escalar, sendo o mais simples o Modelo de Dois Dubletos de Higgs. Uma das evidências mais fortes de física para além do Modelo Padrão é o fenómeno de oscilações de neutrinos, que requerem massa não-nula e mistura de neutrinos, algo não contemplado pelo Modelo Padrão. Contudo, é possível introduzir massas de Majorana para os neutrinos considerando operadores de dimensão superior, como o operador de Weinberg, resultante de mecanismos de alta energia. Os pequenos valores obtidos para as diferenças das massas ao quadrado dos neutrinos podem ser uma indicação de que, a uma escala elevada de energia, os neutrinos são exactamente degenerados. A evolução radiativa a partir dessa escala até à escala fraca, regida pelas equações do grupo de renormalização, pode ser responsável por levantar a degenerescência e gerar as diferenças de massa e os ângulos de mistura requeridos a baixa energia. Na presente dissertação, a hipótese de degenerescência da massa dos neutrinos a uma escala elevada é revisitada no contexto do Modelo Padrão, e é explorada na sua mais simples extensão escalar, o Modelo de Dois Dubletos de Higgs.
Modelo Padrão, Modelo de Dois Dubletos de Higgs, Massa dos neutrinos, Degenerescência da massa dos neutrinos, Grupo de renormalização

Novembro 6, 2017, 14:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Filipe Rafael Joaquim

Departamento de Física (DF)

Professor Auxiliar