Dissertação

Multiterapia Adaptativa da Infeção por HIV EVALUATED

Este trabalho incide no controlo adaptativo da infeção por HIV quando o tratamento é feito com multiterapia. É usado um modelo de três variáveis não linear sobre o qual é feito um estudo da dinâmica e linearizações do mesmo. O objetivo dos controladores é levar o número de viriões livres para um certo valor de referência inferior aos limiares de deteção dos instrumentos atuais. São usadas para isso duas terapias em simultâneo (RTI e PI) sendo que a variável de controlo diz respeito a valores de efeito das terapias. Inicialmente é feita uma abordagem não adaptativa em que são testados diferentes tipos de controladores comparando depois o desempenho dos mesmos. Nesta altura considera-se que existe um conhecimento prévio dos parâmetros do sistema. Adicionalmente é feito também um estudo por simulação à sensibilidade. Posteriormente é feita uma abordagem em que se utilizam dois mecanismos diferentes de adaptação, conjugados com diferentes controladores de modo a avaliar qual a estratégia que produz melhores resultados. A existência de adaptação permite lidar com a grande variabilidade existente entre pacientes sendo que são testados casos com maior e menor incerteza inicial. As diferentes funções de custo usadas nos controladores são projetadas de forma a que, no equilíbrio, os valores das duas terapias diferentes sejam semelhantes, minimizando assim a toxicidade.
Controlo da infeção por HIV, controlo adaptativo, controlo preditivo, sistemas biomédicos, modelos múltiplos comutados, princípio da equivalência certa

Novembro 27, 2019, 10:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

João Manuel Lage de Miranda Lemos

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores (DEEC)

Professor Catedrático