Dissertação

The volume-outcome relationship for colorectal cancer surgery in the Portuguese National Health System EVALUATED

Na última década, a importância do volume hospitalar na definição da qualidade das cirurgias tem sido amplamente discutida. Em alguns países, tais estudos têm levado à criação de políticas com o propósito específico da melhoria de qualidade neste domínio (Housri et al, 2011). O objetivo principal deste trabalho é investigar a relação entre o número de cirurgias de cancro colorectal realizadas num determinado hospital e o resultado dessas cirurgias. A natureza dictómica da variável dependente que representa o resultado - a mortalidade perioperatória - requer o uso de um modelo de regressão logística. A estratégia de concepção do modelo baseou-se em diversos artigos, bem como na abordagem proposta por Hosmer & Lemeshow (2000). Vários modelos foram testados e comparados até à obtenção de um modelo final satisfatório. As informações obtidas a partir de dados referentes a todas as cirurgias de cancro colorectal realizadas no ano de 2008 em hospitais públicos portugueses indicam, de acordo com o modelo de regressão logística considerado, que um paciente submetido a uma cirurgia deste tipo num hospital de grande volume tem metade da probabilidade de falecer face a um paciente com a mesma idade, sexo e número de comorbilidades operado num hospital de baixo volume.
Cancro Colorectal, Garantia de qualidade, Volume Hospitalar, Resultados Cirúrgicos, Regressão Logística

Novembro 13, 2012, 18:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

CO-ORIENTADOR

Rui Gentil de Portugal e Vasconcelos Fernandes

FMUL no Instituto Medicina Preventiva

Assistente Convidado

ORIENTADOR

José Manuel Costa Dias de Figueiredo

Departamento de Engenharia e Gestão (DEG)

Professor Auxiliar