Dissertação

Influência da ação tribológica na libertação de levofloxacina a partir de materiais de lentes de contato EVALUATED

A maioria dos fármacos oftalmológicos é administrada topicamente o que resulta em grandes perdas quer por via lacrimal quer por absorção sistémica indevida que pode causar efeitos indesejados. Tem-se verificado esforços no desenvolvimento de novas técnicas de aplicação de fármacos, que conduzam a uma libertação mais controlada, de modo a aumentar o tempo de permanência do fármaco no olho, tornando o tratamento mais eficaz. As lentes de contato terapêuticas (LCT) têm revelado ser uma alternativa promissora, graças ao contacto direto e prolongado com o olho. Neste trabalho, simulou-se o efeito da ação tribológica (deslizamento da pálpebra) na libertação de levofloxacina (antibiótico comum no tratamento infeções oculares), a partir de hidrogéis à base de poli-2-hidroxietilmetacrilato (p-HEMA) e poli-vinil-pirrolidona (PVP). Prepararam-se amostras mediante dois processos: anídrico, com polimerização térmica e na presença de água, com foto-polimerização. Incorporou-se o antibiótico por imersão dos hidrogéis numa solução concentrada do fármaco. Caracterizam-se as lentes relativamente ao inchaço, hidrofilicidade, transmissibilidade e coeficiente de atrito. A morfologia/topografia foi analisada por microscopia eletrónica de varrimento (SEM). Realizaram-se ensaios de libertação na presença e ausência de atrito, sendo que para o primeiro caso foi utilizado o equipamento Simublink, desenvolvido no laboratório. Quantificou-se o fármaco no sobrenadante por cromatografia líquida de alta eficiência - espetrometria de massa tandem (HPLC-MS/MS). Os resultados não demonstraram efeitos significativos relativos ao efeito do atrito. Foi possível, no entanto, produzir hidrogéis capazes de manter concentrações de antibiótico, acima das concentrações mínimas inibitórias de colonizadores habituais do olho (Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa) durante 9 horas.
efeito tribomecânico, p-HEMA, PVP, levofloxacina, Lentes de contato terapêuticas, libertação de fármacos

Junho 4, 2012, 16:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

CO-ORIENTADOR

Benilde de Jesus Vieira Saramago

Departamento de Engenharia Química (DEQ)

Professor Associado

ORIENTADOR

Ana Paula Valagão Amadeu do Serro

Centro de Química Estrutural (CQE)

Investigador Auxiliar