Dissertação

Liver Tumor Classification based on DCE-MRI Images EVALUATED

O fígado é caracterizado por um duplo aporte sanguíneo: 75% do sangue que entra no fígado tem a sua origem na veia porta hepática e os restantes 25% na artéria hepática. No entanto, este equilíbrio pode ser alterado localmente ou globalmente em diversas condições patológicas, como por exemplo no cancro do fígado. Desta forma, a estratégia principal utilizada nesta tese para avaliar diferenças entre tumores do fígado consistiu na medida da percentagem arterial do tecido tumoral. Isto implica a utilização de um modelo de perfusão hepática com dupla entrada, onde a perfusão do fígado é calculada com base nos sinais recolhidos da aorta e da veia porta. O modelo foi implementado em MATLAB e uma interface gráfica foi criada. Seis casos com diagnóstico confirmado pelo hospital Erasme, em Bruxelas, foram analizados usando o método descrito. Estes estudos imagiológicos continham um total de 9 tumores, incluindo 4 tumores benignos e 5 carcinomas. O modelo usado permitiu recolher uma quantidade considerável de parametros de perfusão à parte da percentagem arterial. Apesar de terem sido usadas imagens com fraca resolução temporal, o método foi capaz de detectar diferenças claras entre tumores benignos e malignos em termos da percentagem arterial. Os resultados confirmaram o facto de os carcinomas hepáticos serem maioritariamente alimentados pela artéria hepática. Os tumores benignos registaram percentagens arteriais médias entre 16.6% e 37.5%. Contrariamente, os tumores malignos revelaram uma componente arterial num intervalo entre 51.4% e 75.5%.
Neoplasmas Hepáticos, Classificação Tumoral, Farmacocinética, DCE-MRI, Percentagem Arterial.

Novembro 29, 2010, 16:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

CO-ORIENTADOR

Rui Tato Marinho

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Professor Auxiliar

ORIENTADOR

João Miguel Raposo Sanches

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores (DEEC)

Professor Auxiliar