Dissertação

Characterization of the human neuro-vascular unit in order to perform in vitro exposure to low doses of uranium EVALUATED

Contaminação por urânio empobrecido (DU) é uma preocupação relevante devido à sua presença na Natureza e às quantidades geradas por actividades humanas. Depois de estudos in vivo, evidências indicam implicação do Sistema Nervoso Central e vestígios de DU foram encontrados no cérebro de modelos animais, apesar de não haver provas de desarranjo da Barreira Hemato-Encefalica. Foi necessário construir modelos in vitro para compreender os mecanismos de interacção do DU com o endotélio cerebral, começando por um modelo da BBB e evoluindo para modelos da Unidade Neurovascular. Os três modelos usados incluem (1) células endoteliais humanas de microvasos (hCMEC/D3), (2) co-cultivadas com pericitos humanos e (3) co-cultivadas com pericitos e células tipo neurónio. Estes modelos mostraram que DU não é citotóxico e não perturba as junções oclusivas em concentrações inferiores a 500 µM. Ainda, é ao menos capaz de entrar nas células endoteliais e pericitos de forma dependente da concentração. Assim, usando uma concentração de 50 µM todos os modelos indicam que DU não afecta a permeabilidade paracelular independentemente da duração da exposição. No entanto, também indicam que hCMEC/D3 possuem, a baixo nível, um sistema de desintoxicação de DU depois da captação mas também que este é capaz de passar pelas células para o compartimento inferior. Esta resposta é ligeiramente modulada pela presença de pericitos, mostrando a importância de complexificar o modelo para melhor simular o caso in vivo.
Urânio empobrecido, Barreira Hemato-Encefálica, Unidade Neurovascular, Modelização in vitro

Novembro 9, 2016, 10:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Maria Margarida Fonseca Rodrigues Diogo

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar

ORIENTADOR

Audrey Legendre

Institut de Radioprotection et de Sûreté Nucléaire (IRSN)

Doutor