Dissertação

Development of 3D spheroid cultures of cancer cells for the preclinical evaluation of novel theranostic agents EVALUATED

O cancro é uma das principais causas de morte em todo o mundo, tornando a investigação de novos métodos de diagnóstico e terapia uma prioridade. Contudo, a maioria dos compostos que entra em ensaios clínicos acaba por não ser aceite devido à falta de eficácia, o que se deve, em parte, à utilização de modelos pré-clínicos com um valor preditivo limitado. O objetivo deste trabalho foi o estabelecimento e a caracterização de modelos 3-Dimensionais de cultura de 3 linhas celulares de cancro da próstata (CP) e 2 de glioblastoma que se assemelham aos tumores in vivo (esferoides). A caracterização dos esferoides incluiu o estudo da seu crescimento, integridade e viabilidade. Para além disso, a presença de populações de células estaminais cancerígenas (CECs) também foi estudada, recorrendo a dois marcadores (CD44 e CD117). Por fim, para analisar o potencial dos modelos desenvolvidos na avaliação pré-clínica de compostos baseados em metal, os efeitos da exposição a 64CuCl2 e metalacarboranos foram estudados. Como esperado, os resultados demonstraram que os esferoides são mais resistentes a ambas as famílias de compostos em comparação com células cultivadas em monocamada. A resistência ao 64CuCl2 foi mais elevada nas células que possuíam uma maior população de CECs, responsáveis pela maior resistência e reincidência do cancro. No caso dos metalacarboranos, que têm potencial radiosensibilizador, os resultados preliminares mostraram que não existia sinergia entre os efeitos cito- e radiotóxicos, provando que estes modelos fornecem indicações importantes em relação ao potencial clínico dos compostos em estudo.
Cancro da próstata, glioblastoma multiforme, esferoides, viabilidade, células estaminais cancerígenas, compostos baseados em metais

Novembro 20, 2019, 11:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Joana Filipa Fernandes Guerreiro

C2TN

Doutora

ORIENTADOR

Filipa Fernandes Mendes

Departamento de Engenharia e Ciências Nucleares (DECN)

Investigador Auxiliar