Dissertação

Monitorização dos efeitos da biofixação de gases de efeito de estufa na produção de microalgas EVALUATED

Os níveis de dióxido de carbono atmosférico e de outros gases perigosos aumentaram muito desde a revolução industrial, causando uma intensificação do ?efeito de estufa?, com sérios danos ambientais em todo o planeta. O presente estudo pretende compreender a viabilidade e as consequências da redução das emissões de gases efeito de estufa de uma central termoeléctrica por assimilação biológica de uma cultura de microalgas. Estas são consideradas os organismos fotossintéticos com maior potencial em termos de fixação de dióxido de carbono. Para o estudo construiu-se um fotobioreactor equipado com um sistema de monitorização que permite acompanhar a influência da admissão do gás na cultura. Os primeiros resultados apontam uma boa tolerância da microalga ao gás de escape dado que se verifica o aumento da sua taxa de crescimento. Desta maneira o gás de escape parece ser um bom substrato para o crescimento das microalgas. Desde muito cedo foi constatado um aumento considerável de peso da biomassa sem que o esperado aumento do número de células se verificasse, indiciando por isso a acumulação de produtos de reserva. O pH da cultura mantém-se estável num valor próximo de 6, o qual não inibe o crescimento, e indica que uma possível diminuição abrupta de pH do meio pela dissolução dos gases não parece verificar-se. Estes resultados são estimulantes e impulsionam um estudo mais aprofundado não só dos efeitos que a admissão do gás tem na biomassa, mas também nos diferentes modos de administração do gás com vista a eficiência do processo global.
Microalgas, gases efeito estufa, biofixação, dióxido de carbono; fotobioreactor

Novembro 26, 2008, 9:30

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

CO-ORIENTADOR

Pedro Campilho

PRIME ENERGY

Especialista

ORIENTADOR

Isabel Maria De Sá Correia Leite de Almeida

Departamento de Engenharia Química e Biológica (DEQB)

Professor Catedrático