Dissertação

The role of fu2 in Flower-dependent cell competition events EVALUATED

A teoria de Darwin de seleção natural, na qual organismos melhor adaptados sobrevivem e têm mais descendência, pode ser aplicada a tecidos. Células também competem por espaço e recursos limitados, através de um mecanismo denominado competição celular. Células viáveis mas subóptimas (“losers”) sobrevivem num ambiente homotípico, contudo na presença de células mais viáveis (“winners”), as “losers” são eliminadas por apoptose. Assim, a competição celular otimiza a viabilidade dos tecidos e mantém a homeostase. Quando comprometida, conduz a um envelhecimento acelerado e a doença. As células apresentam, na superfície, isoformas da proteína transmembranar Flower (“Flower Code”) que marca as células de acordo com a sua viabilidade. Em Drosophila, células subóptimas expressam isoformas flowerlose, enquanto células mais viáveis expressam flowerubi. Este modo de competição celular através de comparação local de marcadores de fitness celular (contacto intercelular) é pouco compreendido. Um screen para marcadores iniciais de competição celular foi realizado num contexto de supercompetição, no qual células normais são eliminadas na presença de células com níveis mais elevados do proto-oncogene dmyc (supercompetidores). Um dos marcadores encontrados foi fu2, um gene que codifica um possível fator de transcrição nuclear pertencente à superfamília de zinc-fingers Cis2-His2, e que é sobreexpresso nas células “loser”. Neste projeto mostra-se que fu2 não é suficiente, por si só, para marcar células como “loser”, mas é requerido para a sua eliminação num contexto de supercompetição. Além disso, desenvolveram-se ferramentas moleculares que irão permitir um estudo mais aprofundado do papel de fu2 em eventos de competição celular dependentes de Flower.
Competição celular, “Flower Code”, Supercompetição, fu2, Zinc-finger, Edição genética

Novembro 26, 2018, 10:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Gabriel António Amaro Monteiro

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Associado

ORIENTADOR

Eduardo Moreno Lampaya

Champalimaud Centre for the Unknown

Doutor