Dissertação

Ig-profiling to identify Crohn’s Disease-driving Bacteria EVALUATED

A Doença de Crohn (DC) é um distúrbio autoimune que apesar de ser amplamente investigado, ainda não tem origem conhecida. Neste estudo, investigou-se a possibilidade de usar o perfil de bactérias revestidas por immunoglobulina A (IgA) e pelas subclasses de IgG, em amostras fecais de pacientes com DC, como um biomarcador que diferenciasse indivíduos saudáveis de pacientes com DC, e em particular, para distinguir pacientes que tivessem a doença ativa daqueles que estão em fase remissiva. Para além disso, foram investigadas possíveis correlações e associações com marcadores usados para a doença, bem como com características dos pacientes. As amostras fecais foram obtidas de 53 pacientes, sendo que cada paciente doou duas amostras que correspondem a visita 1 e visita 2. Na primeira visita, todos os pacientes estavam em remissão enquanto que, na segunda, 19 apresentavam doença ativa. Foram ainda analisadas 20 amostras de indivíduos saudáveis e mais 9 amostras de pacientes com DC. A DC demonstrou estar associada a um valor elevado de IgA, IgG2 e IgG4. Contudo, os resultados referentes a IgG2 e IgG4 foram ambíguos. A Escala de Bristol foi o marcador que apresentou mais correlações com a fase ativa da doença. O perfil de revestimento das bactérias pelos anticorpos, não demonstrou potencial para ser usado para distinguir entre estados da doença, e entre pacientes e indivíduos saudáveis. Contudo, o tratamento dos doentes pode ter influenciado os resultados obtidos e por isso, em estudos futuros, devem ser usados pacientes que nunca tenham recebido tratamento.
Patogénese, Doença de Crohn, Anticorpos, Microbiota Intestinal, Immunopatogénese

Novembro 20, 2018, 9:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Leonilde de Fátima Morais Moreira

Departamento de Bioengenharia (DBE)

Professor Auxiliar

ORIENTADOR

Susanne Brix Pedersen

DTU BIOENGINEERING

Associate Professor