Dissertação

Indoor air quality inside vehicle cabins while commuting in Lisbon EVALUATED

Os individuos estão expostos a vários poluentes físico-químicos e biológicos que podem afectar à saúde. Este estudo tem como objetivo avaliar a qualidade do ar interior (QAI) durante movimentos pendulares em carros, autocarros e comboios em Lisboa para contribuir na avaliação de possíveis efeitos na saúde humana. Foram avaliados a matéria particulada (PM) com diâmetro menor que 1, 2,5 e 10 µm, carbono negro (BC), monóxido de carbono (CO), compostos orgânicos voláteis (VOCs) e dióxido de carbono (CO2) e formaldeído (CH2O). Nos carros o efeito da limpeza e três modos de ventilação: sem ventilação, ventilação média e ar condicionado (CA) foram avaliados. O total de bactérias e fungos foi estimado e isolados bacterianos identificados. A dose inalada em cada veículo foi estimada. Nos carros, o CA diminuiu a concentração de PM2,5-10 para 0,7 µg / m3, mas aumentou a concentração de BC para 4,1 µg / m3. O efeito da limpeza foi insignificante. A concentração de PM2,5 nos autocarros variou entre 8 - 73 µg / m3 e a concentração de BC foi de 4,5 µg / m3, semelhante aos carros. O CO2, VOCs e CH2O encontrados nos carros foram maiores sem ventilaçao. Nos comboios, as concentrações dos poluentes foram baixas, com exceção dos VOCs (2516 µg / m3). As cargas de fungos e bactérias foram maiores em comboios e autocarros. Neste estudo, o modo de ventilação foi identificado como o principal fator que afeta o IAQ. Além disso, foi possível fornecer uma perspectiva geral do QAI no transporte público.
microbiota interior, Lisboa, avaliação da exposição, dose inalada, cabina do veículo

Dezembro 4, 2019, 10:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Sandra Isabel Silva Damas Cabo Verde

Departamento de Engenharia e Ciências Nucleares (DECN / IST)

Investigador Auxiliar

ORIENTADOR

Susana Marta Lopes Almeida

Departamento de Engenharia e Ciências Nucleares (DECN)

Investigador Auxiliar