Dissertação

Conservação da madeira em edifícios históricos. O caso das madeiras do Brasil EVALUATED

Entre os séculos XVI e XIX Portugal importou do Brasil madeiras de elevada qualidade para a tintutaria de tecidos, construção naval, construção civil e artes decorativas. As “madeiras de lei” ou “madeiras reais”, comércio exclusivo da coroa portuguesa, foram as mais exploradas, o que resultou na quase extinção de algumas espécies botânicas. A utilização dada a estas madeiras tem sido objeto de interesse académico no Brasil, no entanto, este assunto em Portugal encontra-se ainda pouco estudado. A presente dissertação procurou verificar qual o destino das madeiras importadas do Brasil através de pesquisa documental nos principais arquivos nacionais e análise de edifícios históricos construídos no referido período. Paralelamente, procurou-se compreender a utilização tradicional de madeira em Portugal e quais as espécies mais utilizadas, a fim de enquadrar a necessidade de madeiras vindas do Brasil. Selecionou-se como caso de estudo o Palácio Pombal, em Lisboa, por preservar até aos dias de hoje caracteristícas originais, nomeadamente madeiras exóticas; procurou-se recolher, analisar e identificar amostras de madeira dos principais elementos construtivos, no sentido de validar a utilização de madeiras brasileiras nos edifícios nobres em Portugal. O interesse desta pesquisa reside no seu contributo para a conservação e restauro da madeira em edifícios históricos, em particular, para a preservação das madeiras históricas brasileiras.
Madeiras de lei, Brasil, Palácio Pombal, conservação e restauro, estruturas de madeira.

Julho 5, 2017, 10:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

José Maria Da Cunha Rego Lobo de Carvalho

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Prof Auxiliar Convidado

ORIENTADOR

Angela do Valle

UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Adjunta