Dissertação

De Belém à Foz do Jamor. Reconversão da Doca de Pedrouços EVALUATED

Algés tinha uma forte identidade e teve um papel importante na história da cidade. Atualmente perdeu-se essa herança devido à modernização, que vem produzir alterações profundas no tecido social, na morfologia urbana e nas tipologias de construção de toda aquela área. A linha férrea e as vias rodoviárias fazem parte dos principais agentes para a fragmentação da cidade na descontinuidade da mesma e contribuem para a segregação entre os espaços existentes. A necessidade de aumentar o fluxo de transporte no setor da mobilidade veio produzir uma linha, via rodoviária, que liga de modo indiscutível a cidade longitudinalmente, mas é a antítese no seu efeito transversal. Este é o caso da marginal que se impõe como barreira no seu atravessamento. O que se propõe é atenuar os limites da sobreposição rodoviária, através de sucessivos atravessamentos que rompem essa barreira. A intervenção na Praça D.Manuel I e a exposição da ribeira de Algés enquadram-se na ideia de requalificar esta área de estudo, valorizando os elementos que a identificam e tornando-os mais legíveis. A proposta para a frente marítima pertence a uma estratégia de resposta às necessidades do lugar, o novo parque urbano e a reconversão da Doca de Pedrouços. É objetivo do presente trabalho a reconversão da Doca de Pedrouços num centro náutico, num centro de co-working e em espaços de restauração e lazer de uso público.
Doca de Pedrouços, Docapesca, Reconversão, Centro náutico

Novembro 21, 2016, 15:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

António Salvador de Matos Ricardo da Costa

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar