Dissertação

Arquitectura e práticas participativas. Alternativa política ou tendência neoliberal? O caso de estudo Elemental EVALUATED

A participação tem sido um termo usado transversalmente nas mais diversas disciplinas e com os mais distintos significados. A presente dissertação pretende fazer uma abordagem a este conceito no campo específico da arquitectura, onde permanece incerto o seu posicionamento: da romantização das práticas e perpetuação da precariedade ao sentido oposto, de rejeição do envolvimento social do arquitecto e persistência na sua aura profissional. A investigação pretende definir os significados dos conceitos de arquitectura, participação e capitalismo, analisando as distintas relações que estes tiveram ao longo da história e as diferentes leituras que alguns arquitectos fizeram desta triangulação. O documento divide-se em três momentos: problematização dos conceitos a partir de autores da filosofia contemporânea e crítica de arte; a ancoragem desses mesmos conceitos na história da arquitectura, destacando o papel de Lina Bo Bardi e Giancarlo de Calo); a análise de um dos casos paradigmáticos da contemporaneidade, o do tank Elemental. Entendendo que o ímpeto para um certo activismo social na arquitectura emerge a cada crise, parece-nos que os processos participativos são, nestes momentos, bengalas na (re)construção de discurso, numa disciplina que se vê desordenada pelas forças do capitalismo tardio.
arquitectura, participação, política, capitalismo, metodologia projectual

Dezembro 11, 2019, 10:0

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Bárbara dos Santos Coutinho

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar Convidado