Dissertação

Complexidade na transformação de edifício existente: de palácio a museu EVALUATED

A presente dissertação tem como objecto de estudo a transformação de edifícios pré-existentes e a sua adaptação a um novo programa. Através do escrito Complexidade e Contradição em Arquitectura de Robert Venturi como base teórica de análise, procura-se entender em que sentido são consideradas as restrições e condicionantes no desenvolvimento de um projecto e de que forma é feita uma intervenção contemporânea num edifício pré-existente. Será na relação da arquitectura com o homem e com a realidade que é possível encontrar as afinidades entre as atitudes de pensamento e a via alternativa representada por Venturi - uma arquitectura que aceita os problemas e explora as incertezas da realidade - e pelos arquitectos portugueses, na procura de uma arquitectura que não apaga os princípios da modernidade, mas personaliza-os, sem esquecer o homem e a circunstância. Perante um olhar atento à realidade, a complexidade contamina a prática projectual de modo extremamente diversificado. Através de transições válidas entre programas ou estruturas do passado que possam dar resposta a novas necessidades contemporâneas, a adaptação de usos surge como forma de responder às exigências dos novos tempos, à evolução dos programas e às necessidade de preservação do património. Enquanto antigos palácios transformados e ampliados em museus, fomenta-se a relação entre o passado e o presente, proporcionando a preservação da memória do antigo lugar e a atribuição de um novo significado funcional ao edifício. Promove-se a valorização do edifício existente bem como a preservação do património histórico, criando um novo dinamismo na vida cultural das cidades.
O antigo e o novo, adaptação de usos, complexidade, contradição, inclusão

Junho 27, 2018, 11:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

João Rosa Vieira Caldas

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar