Dissertação

Projecto Urbano da Torre de Belém à Foz do Jamor. Conjunto habitacional entre a Baía e o Parque EVALUATED

A área de estudo, balizada pela Torre de Belém e pela foz do rio Jamor, corresponde a um troço importante da frente ribeirinha do Tejo, na transição entre os concelhos de Lisboa e de Oeiras. Carece, porém, de uma intervenção que a dote das caraterísticas que a tornem um lugar integrado na cidade. O programa para esta área propõe-se responder às solicitações urbanísticas e funcionais dos municípios referidos e às necessidades de eventos desportivos e culturais que trazem dinamismo a este local. Soluções projetuais estruturantes incluíram a redefinição do nó de Algés através de uma rotunda elevada que serve de rótula entre a CRIL, a Avenida de Brasília e a Avenida Marginal. Esta última passa a desenvolver-se a sul da linha ferroviária na zona do Dafundo. Para a área da sua atual localização propõe-se uma promenade qualificada com arborização e ciclovia. A “renaturalização” da ribeira de Algés é outra das intenções da proposta. Esta voltará a funcionar integrada no sistema de drenagem natural, sendo simultaneamente um elemento marcante no parque urbano que é a intervenção mais abrangente em toda a frente ribeirinha. Numa fase posterior efetuou-se uma aproximação a uma área mais pequena da área de estudo que corresponde ao conjunto habitacional. Os 5 edifícios propostos pousam sobre a linha de margem de uma nova baía, estabelecendo tensão com o elemento de água. Esta baía serve de zona abrigada para marinas/embarcadouros privados que possuem acesso direto para as habitações. As praças entre os edifícios comunicam com o parque urbano envolvente.
Conjunto habitacional, Espaço público, Parque urbano, Renaturalização, Terrapleno de Algés

Junho 28, 2017, 9:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

António Salvador de Matos Ricardo da Costa

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar