Dissertação

A participação de comunidades locais em projetos de regeneração urbana. Análise de casos de estudos em Lisboa e São Paulo EVALUATED

Como podem os moradores de uma área urbana ter influência nas alterações ao ambiente que os rodeia? Esta é a pergunta que está na génese desta dissertação. Atualmente, e cada vez mais, políticas públicas e a sua definição requerem a participação da sociedade civil para a sua aprovação, legitimação ou para, de alguma forma, tomar melhores decisões, e as políticas urbanas não são exceção. É necessário clarificar o como, quem, quando e onde da participação da comunidade local na regeneração urbana, assim como encontrar modelos para a sua avaliação. A análise da bibliografia especializada revela vários conceitos e práticas relevantes, no entanto não identifica um modelo suficientemente abrangente para avaliar a complexidade dos processos participativos. É estabelecido um modelo próprio, com a intenção de ser mais amplo na análise, para a avaliação de dois casos em desenvolvimento, um em São Paulo e outro em Lisboa. Recorrendo a análise documental, observação direta e depoimentos dos atores, parte-se para a análise das duas amostras. Os resultados da pesquisa permitem conhecer as várias componentes dos processos participativos na regeneração urbana e determinar boas práticas e potenciais problemas. Como efeito colateral positivo pretende-se estimular a discussão nas duas estruturas participativas analisadas e em futuras estruturas deste tipo.
Comunidades locais, participação pública, regeneração urbana, planeamento comunitário, estruturas participativas, técnicas participativas

Junho 14, 2018, 10:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Maria Joana Coruche de Castro e Almeida

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar

ORIENTADOR

Caio Santo Amore de Carvalho

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo

Professor Doutor