Dissertação

Tipologia e evolução de escadarias palacianas nos séculos XVII e XVIII. O caso de Lisboa EVALUATED

Para compreender a evolução que se verificou nos sistemas de comunicação vertical nas casas nobres, em Portugal, do início do século XVII até finais do século XVIII é necessário perceber as razões que levaram um simples elemento utilitário de ligação entre pisos a tornar-se num elemento chave, em torno do qual, os palácios se passaram a conformar. Entre os factores que influenciaram a sociedade Portuguesa destes dois séculos, são de notar: a União Ibérica e a falta de riqueza existente no país, consequente do declínio do império marítimo, a Restauração da Independência e a guerra que se gerou de seguida, empobrecendo ainda mais o país, a deslocação da nobreza de corte para Lisboa, após a guerra terminar, a descoberta de ouro no Brasil que enriquece mais uma vez a coroa portuguesa, o Barroco e a importação dos ideais que se lhe associam, a construção de grandes obras públicas como o Convento de Mafra, o Terramoto de 1755 e posterior reconstrução da Baixa lisboeta e ainda, já na passagem do século XVII para o século XVIII, alguma influência da Revolução Industrial e do Neoclassicismo Europeu. Associado à vontade de criar toda uma aparência grandiosa e teatral, as escadarias dos palácios deixam de ser simples elementos de comunicação e tornam-se no núcleo gerador e articulador de todo o palácio.
Escadaria, Palácio, Barroco, Tipologia, Lisboa

Abril 20, 2015, 9:30

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

João Rosa Vieira Caldas

Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos (DECivil)

Professor Auxiliar