Perguntas frequentes

17 Julho 2015, 11:30 Rui Valadas

Quais são os principais trunfos do curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico?

  • Empregabilidade – a melhor do Técnico, todos os ex-alunos a trabalhar e a trabalhar na área de formação
  • Formação sólida e de espectro largo – devido ao seu posicionamento “a meio caminho” entre as formações mais clássicas em Eng. Eletrotécnica e Eng. Informática, a formação vai desde a Eletrotecnia à Informática, passando pelas Telecomunicações e pelos Computadores
  • Capacidade de criação de startups tecnológicas – 7 startups tecnológicas criadas por cada 100 alunos formados, o melhor número do país e um dos melhores a nível internacional
  • Saber fazer – ensino com forte componente laboratorial, que alia a teoria à prática e fornece efetivas competências de Engenharia, permitindo aos alunos “dar cartas” no mercado de trabalho
  • Formação para a vida – a solidez e abrangência da formação, desde a Eletrotecnia à Informática, fornece autoconfiança e grande capacidade de adaptação a novas situações e de aprender autonomamente
Quais são as grandes empresas que empregam Engenheiros de Telecomunicações e Informática?
Os gigantes da Internet como a Google, o Facebook, a Amazon, a Ericsson, a Cisco, a AT&T, a Huawei, a Microsoft, a Apple, a Vodafone e o YouTube, muito deles com sucursais em Portugal. Em Portugal, empresas como a Portugal Telecom, a Novabase, a MEO, a NOS, a ZON, a Cabovisão, a Sonaecom, os bancos e os diferentes setores da administração pública.

O curso de Eng. de Telecomunicações e Informática é um curso acreditado?
Sim, é acreditado tanto pela A3ES (Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior) como pela Ordem dos Engenheiros. A acreditação da A3ES foi dada pelo período máximo, e com grandes elogios. Podes ver a notícia aqui. Relativamente à Ordem dos Engenheiros, o Mestrado em Eng. de Telecomunicações e Informática foi o primeiro curso de 2º ciclo a receber a marca de qualidade EUR-ACE. Podes ver a notícia aqui.

Um Mestrado Integrado é melhor que um 3+2 (Licenciatura + Mestrado)?
Não. O número de anos de formação é o mesmo num caso e noutro. Aquilo que os empregadores consideram importante é a relevância da formação (isto é, se um curso dá ou não as competências de Engenharia que o mercado efetivamente necessita) e a marca Técnico. Pelo contrário, os 3+2 têm algumas vantagens relativamente aos Mestrados Integrados: os alunos podem iniciar a atividade profissional ao fim de 3 anos, se assim o entenderem; podem também mudar de curso ao fim de 3 anos, se não estiverem satisfeitos com a formação. Ou seja, a flexibilidade é muito maior.

Porque é que a empregabilidade do curso de Engenharia de Telecomunicações e Informática do Técnico é tão elevada?
A Eng. de Telecomunicações e Informática forma Engenheiros capazes de lidar com as diferentes facetas da Eng. da Internet, desde o hardware que a suporta até ao software usado na programação das suas aplicações informáticas, como o Facebook e a Google. O curso poderia mesmo chamar-se Engenharia da Internet. Dada a evolução que a Internet continua (e continuará por muitos anos) a sofrer, não é de espantar que esta seja uma área com grandes necessidades de Engenheiros competentes. A Comissão Europeia estima que os empregos na área das Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC) cresçam a um ritmo de 100.000 por ano e que em 2015 haja um défice de 900.000 Engenheiros, só no espaço Europeu.

Quais são as funções dos Engenheiros de Telecomunicações e Informática?

Podem ser muito variadas!

  • Por um lado, têm a seu cargo o desenvolvimento das aplicações informáticas da Internet, de que são exemplos o Facebook, o Instagram e a Google. Para exercer esta atividade os Engenheiros de Telecomunicações e Informática dominam com grande à vontade os vários aspetos dos sistemas informáticos, desde a programação de aplicações multimédia, móveis, peer-to-peer e na cloud, até aos grandes clusters de servidores e bases de dados da Web.
  • Por outro, cabe-lhes projetar, supervisionar a instalação, configurar e gerir as muitas redes de telecomunicações e centros de dados que formam a Internet. Não há hoje em dia empresa ou organismo de média ou grande dimensão, que não tenha a sua própria rede de telecomunicações, ligada à Internet. Por isso, as necessidades de quadros qualificados nesta área são enormes. Os Engenheiros de Telecomunicações e Informática têm as competências necessárias para resolver os muitos problemas que se colocam nesta atividade, nomeadamente os ataques de segurança, a latência das comunicações, e a resistência a avarias nos equipamentos.

Quais são as saídas profissionais do curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico?
  • Arquiteto e/ou Gestor de Redes de Telecomunicações
  • Programador de Aplicações Informáticas para a Web
  • Especialista de Internet
  • Gestor de Centros de Dados
  • Engenheiro de Redes e Sistemas de Segurança
  • Engenheiro para Mobile e Cloud Computing
  • Consultor Técnico em Redes de Telecomunicações
  • Engenheiro Técnico e Comercial
  • Gestor de Produto/ Marketing
  • Empreendedor
  • Investigador

Como se comparam os Engenheiros de Telecomunicações e Informática do Técnico com outros Engenheiros da mesma área formados nos EUA, na Europa e noutros países?
Não é fácil dar uma resposta muito precisa. Mas todo o feedback que temos dos nossos ex-alunos que estão a trabalhar no estrangeiro é que os Engenheiros em Telecomunicações e Informática do Técnico saem melhor preparados e "dão cartas" lá fora. Vê, por exemplo, os testemunhos do Dário Nascimento, do Diogo Mónica, do João Ferreira e do Luis Figueiredo.

Devo escolher um curso pela sua média de entrada?
Não. O que é importante é escolher um curso que seja muito bom “à saída”, isto é, que dê uma formação sólida e abrangente, seja estimulante do ponto de vista intelectual, tenha uma boa empregabilidade tanto no país como no estrangeiro, produza Engenheiros com autoconfiança, autonomia e capacidade de adaptação a novas situações, e que tenha boas perspetivas de futuro. Infelizmente, muitos cursos com médias de entrada elevadas não dão estas garantias.

Quais as principais diferenças entre o curso de Eng. de Telecomunicações e Informática e o de Eng. Eletrotécnica e de Computadores?
O curso de Eng. de Telecomunicações e Informática (LETI) produz Engenheiros preparados para lidar com as diferentes facetas da Engenharia da Internet. Em termos simples, a Eng. Eletrotécnica forma em hardware e a Eng. de Telecomunicações e Informática forma tanto em hardware como em software, uma combinação que é essencial para a Internet. A LETI dá bases sólidas tanto em Eletrotecnia como em Informática. Relativamente ao curso de Eng. Eletrotécnica, a LETI dá uma maior formação em Telecomunicações, em Segurança, em Redes de Computadores, e em todas as vertentes da Informática. Por estas razões, a Eng. de Telecomunicações e Informática é o curso com maior empregabilidade do Técnico e com melhor rácio entre startups tecnológicas criadas e alunos formados.

Quais as principais diferenças entre o curso de Eng. de Telecomunicações e Informática e o de Eng. Informática e de Computadores?
O curso de Eng. de Telecomunicações e Informática (LETI) produz Engenheiros preparados para lidar com as diferentes facetas da Engenharia da Internet. Em termos simples, a Eng. Informática forma em software e a Eng. de Telecomunicações e Informática forma tanto em hardware como em software, uma combinação que é essencial para a Internet. A LETI dá bases sólidas tanto em Eletrotecnia como em Informática. Relativamente ao curso de Eng. Informática, dá uma maior formação em Segurança, em Redes de Computadores, em Programação para aplicações móveis, peer-to-peer, e para a cloud, e em todas as vertentes da Eletrotecnia. Por estas razões, a Eng. de Telecomunicações e Informática é o curso com maior empregabilidade do Técnico e com melhor rácio entre startups tecnológicas criadas e alunos formados.

Sou um excelente aluno. Este curso é para mim?
Claro que é! Muitos alunos excelentes tendem a escolher cursos como Medicina e as Engenharias tradicionais, com médias de entrada muito elevadas. Mas estar entre os melhores é apenas isso, não é um valor em si. Tens de ir mais além e perceber onde está o futuro. O que é importante é escolheres uma formação que promova a tua excelência, e te permita marcar a diferença pelas coisas que faças acontecer. Pensa em Mark Zuckerberg (Facebook), em Larry Page e Sergey Brin (Google), em Tim Berners-Lee (inventor da Web), e em Leonard Kleinrock (inventor da Internet), todos eles mentes brilhantes com formação em Telecomunicações e Informática. Eles transformaram o mundo, e tu podes ser um deles!

Depois de acabar a Licenciatura tenho acesso direto ao Mestrado em Eng. de Telecomunicações e Informática?
Sim. Há até alunos que iniciam o Mestrado sem terem terminado completamente a Licenciatura. Podes encontrar mais informação sobre o METI aqui. Podes também encontrar descrições informais (e com algum humor) de disciplinas do METI e da LETI aqui.

Posso ter uma experiência internacional durante o curso?
Sim. Muitos dos nossos alunos vão fazer parte do curso em Universidades estrangeiras, normalmente um semestre, ao abrigo do programa ERASMUS. Vê, por exemplo, o testemunho da Inês Fernandes, do Nuno Fernandes e da Inês Castelo. Para além do ERASMUS, existem outras oportunidades de contacto internacional. Por exemplo, a Huawei, através do programa "Seeds for the future", financia todos os anos uma visita de 15 dias à sua sede na China, a alguns alunos do curso. Vê a notícia aqui.

Existem riscos por escolher uma formação mais recente como a Eng. de Telecomunicações e Informática face a outras mais clássicas como a Eng. Eletrotécnica ou a Eng. Informática?
Não existe nenhum risco, bem pelo contrário. As formações mais recentes pretendem responder a necessidades prementes do mercado e da sociedade. A Eng. de Telecomunicações e Informática surgiu do crescimento exponencial da Internet, e da necessidade de Engenheiros capazes de lidar com os muitos problemas que se lhe colocam, que vão desde a Eletrotecnia à Informática. Tem uma qualidade que lhe é garantida pela marca Técnico, e que foi avaliada muito positivamente pela A3ES e pela Ordem dos Engenheiros. Além disso, é um curso já amplamente reconhecido pelo mercado, e com inúmeros casos de sucesso tanto no país como no estrangeiro. E como a Internet "veio para ficar" (todos percebemos isto…) é um curso com enorme futuro.

A formação dada no curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico é desafiante e estimulante do ponto de vista intelectual?
Sim, é muito estimulante. A Eng. de Telecomunicações lida com problemas muito recentes e atuais, que estão na fronteira do conhecimento. Para muitos destes problemas não existem ainda respostas convincentes. Exemplos são a qualidade de serviço das redes da Internet, a Internet-of-Things, as redes veiculares, a correção da programação paralela e distribuída para a Web, as redes que poupam energia, a segurança dos sistemas e da comunicações na Internet, o Web data mining, as redes sensíveis ao contexto e às redes sociais, as redes definidas por software, e um sem número de problemas que requerem Engenheiros dotados de capacidade de investigação e inovação.

A formação dada no curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico é abrangente?
É a mais abrangente dos cursos desta área, uma vez que se estende desde a Eletrotecnia (com ênfase em Telecomunicações) até à Informática. O curso dá uma formação de base sólida nestas duas áreas, e esta conjugação é um dos seus maiores trunfos.

O que é uma startup tecnológica e qual a sua importância?
É uma empresa, que começa normalmente com poucas pessoas, e se forma para explorar uma ideia inovadora na área da tecnologia, com potencial para se transformar num grande negócio e gerar empregos e riqueza. Bons exemplos são o Facebook, a Google, e a TalkDesk que nasceu da iniciativa de dois alunos do curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico, a Cristina Fonseca e o Tiago Paiva. Podes ver uma lista das startups tecnológicas criadas por alunos do curso aqui.

Porque é que é importante um curso ser capaz de potenciar startups tecnológicas?
Isso significa que a formação dada pelo curso é relevante para o mercado, a ponto dos seus alunos serem capazes de produzir ideias inovadoras com potencial para se transformarem em grandes negócios. Quer também dizer que os alunos são tecnicamente competentes, e têm espírito de iniciativa, autonomia e autoconfiança.

O que devo ter em conta na opção pelos diferentes cursos de Engenharia?
Um bom curso de Engenharia é aquele que oferece um bom equilíbrio entre teoria e prática. Um Engenheiro é um “fazedor”, e um curso excessivamente teórico de pouco te servirá. Em qualquer área da Engenharia, terás de saber pensar e saber fazer, na mesma medida. A existência de startups tecnológicas criadas a partir de um curso é um bom indicador da sua qualidade. Um outro aspecto a ter em conta é a empregabilidade. Há áreas da Engenharia com maior e menor empregabilidade, e isso não é muito difícil de perceber. Para cada curso que te possa interessar, pensa se existe ou não indústria nacional e internacional na área. Se te restarem dúvidas informa-te juntos de profissionais e professores de Engenharia. No Técnico estamos sempre prontos a receber-te. Se pretenderes saber mais sobre o curso de Eng. de Telecomunicações e Informática, contacta o coordenador, o Prof. Rui Valadas, através do e-mail rui.valadas@tecnico.ulisboa.pt .

Qual é o papel social dos Engenheiros de Telecomunicações e Informática?
Os Engenheiros de Telecomunicações e Informática têm uma missão importante no mundo: globalizar as comunicações (através da Internet). Esta globalização melhora a sociedade, torna-a mais transparente e democrática, e faz revoluções, como se viu recentemente na chamada revolução de jasmin. Mais informações aqui.

Qual a diferença entre a formação de base em Matemática e Física do curso de Eng. de Telecomunicações e Informática e dos restantes cursos do Técnico?
Todos os cursos do Técnico têm a mesma formação de base em Matemática e Física. As disciplinas de base em Matemática são, para todos os cursos: Álgebra Linear,  Cálculo Diferencial e Integral I, Cálculo Diferencial e Integral II, Análise Complexa e Equações Diferenciais e Probabilidades e Estatística. A LETI tem ainda Matemática Computacional e Elementos de Matemática Discreta. As disciplinas de base em Física são, para todos os cursos: Mecânica e Ondas e Electromagnetismo e Ótica.

Qual é a percentagem de Eletrotecnia e de Informática no curso de Eng. de Telecomunicações e Informática?
As formações em Eletrotecnia e em Informática têm aproximadamente o mesmo peso do currículo do curso. É isso que faz com que o curso esteja posicionado a “meio caminho” entre a Eng. Eletrotécnica e a Eng. Informática. As disciplinas de Eletrotecnia do curso são Sistemas Digitais, Arquitectura de Computadores, Sistemas e Sinais, Propagação e Antenas, Sistemas de Comunicações, Introdução aos Sistemas Eléctricos e Electrónicos, Electrónica dos Sistemas Embebidos, Introdução às Redes de Computadores, Arquitecturas de Redes e Gestão e Segurança de Redes. As disciplinas de Informática do curso são Fundamentos de Programação, Introdução aos Algoritmos e Estruturas de Dados, Programação com Objectos, Sistemas Operativos, Sistemas Distribuídos, Introdução às Interfaces Pessoa-Máquina, Bases de Dados, e Engenharia de Software.

Quais são as vantagens de ter o curso de Eng. de Telecomunicações e Informática lecionado no campus do Taguspark?
O campus do Taguspark dispõe de instalações modernas, agradáveis e bonitas, laboratórios muito bem equipados, e está rodeado de empresas tecnológicas. A existência de bons laboratórios é essencial para a aquisição de efetivas competências em Engenharia. A configuração do edifício favorece a socialização entre alunos e o contacto entre alunos e professores. É frequente encontrar professores a tirar dúvidas aos seus alunos num dos bares do edifício. O campus está afastado do centro de Lisboa, mas existem autocarros gratuitos que circulam aproximadamente de hora a hora entre a Alameda e o Taguspark, com vários pontos intermédios de paragem. O campus tem também uma residência de estudantes.

O ensino no Taguspark é diferente do da Alameda?
Não. Técnico é Técnico! Os professores são os mesmos e há um grande número de disciplinas que são exatamente sincronizadas com a Alameda, isto é, têm os mesmos programas e métodos de avaliação.

Quais são as provas específicas para entrar na Licenciatura em Eng. de Telecomunicações e Informática?
A LETI tem como requisitos de ingresso a Matemática A e a Física-Química. A presença da Física nas provas de ingresso é essencial dada a componente de Telecomunicações do Curso.

Qual é a importância das competências pessoais no exercício da atividade de Engenheiro?
É grande, e é um aspeto cada vez mais valorizado pelos empregadores. Saber trabalhar em equipa, saber liderar, saber ouvir, ter autonomia e espírito de iniciativa, ter uma "voz própria", são competências muitos relevantes, a par com as competências técnicas. O aprofundar das competências pessoais é uma constante do curso de Eng. de Telecomunicações e Informática do Técnico. Os alunos desenvolvem muitas vezes projetos e trabalhos laboratoriais em grupos de 2 ou 3 elementos e têm de fazer apresentações orais em muitas disciplinas. Além disso, são incentivados a participar nas muitas atividades organizadas pelos núcleos de estudantes, em particular pelo NEETI (Núcleo de Estudantes de Eng. Informática e Telecomunicações) e pelo núcleo estudantil do IEEE. Finalmente, existem no curso disciplinas específicas destinadas a melhorar as competências pessoais, como é o caso de "Comportamento Organizacional", "Empreendedorismo" e "Engenharia Económica".

Há outras perguntas que gostarias de ver respondidas, ou gostarias de visitar as instalações do Taguspark?
Envia um e-mail para o coordenador do curso, o Prof. Rui Valadas (rui.valadas@tecnico.ulisboa.pt), e marca um entrevista. Se quiseres, podes trazer os teus pais.